Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Cores

Curiosidades sobre cores

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Designer x Arte finalista

Diferença entre Arte finalista e Designer

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

COMO OTIMIZAR SUAS IMAGENS PARA WEB SEM PERDER QUALIDADE


Muitos fatores são responsáveis para um carregamento rápido de um site. Desses fatores, o peso das imagens tem uma parcela significativa.
Você já aprendeu como escolher boas imagens para seus projetos. Mas, como otimizá-las para que seu peso seja o menor possível, mantendo ainda uma boa qualidade?
Nesse post, vamos abordar 2 maneiras:

Opção 1: Salvar para Web no Photoshop

O conhecido atalho Alt+Shift+Ctrl+S (Salvar para Web) do Photoshop permite escolher várias opções de qualidade para suas imagens, sendo possível testar em tempo real se aquela configuração é adequada para seu projeto.
No exemplo abaixo, escolhi uma imagem ilustrativa da Fotolia para testar algumas opções:

Imagem Original (196kb)

Grocery shopping cart with vegetables and fruits on supermarket background.
O painel Salvar para Web é bem intuitivo e fácil de ser explorado. O ideal é ir alterando a o campo Qualidade até encontrar o equilíbrio entre peso e qualidade da imagem.
Note que à medida que o valor do campo Qualidade é alterado, um novo peso é calculado no canto inferior direito.
otimizar-suas-imagens-para-web-sem-perder-qualidade-photoshop-salvar-para-web
Alterando o valor do campo Qualidade para 60, um ajuste muito simples, já é possível ter uma significativa redução do peso da imagem. Veja abaixo como ficou a imagem otimizada:

Imagem Otimizada (99kb)

otimizar-suas-imagens-para-web-sem-perder-qualidade-photoshop-tamanho-reduzido
Comparando as duas imagens, a diferença de qualidade é praticamente imperceptível, porém há uma diferença de quase 100kb de uma para outra.
Grocery shopping cart with vegetables and fruits on supermarket background.
Se houvessem 10 imagens como essa em uma seção de um site, a otimização pouparia aproximadamente 1Mb de carregamento.
Multiplique isso por dezenas, centenas ou talvez milhares de visitantes diários na página e a quantidade de tráfego economizado entre o cliente e o servidor será extremamente significativa. Viu como a otimização de imagens é importante?

Opção 2: Tiny JPG/PNG

Existe dois serviços gratuitos muito bons para quem deseja otimizar uma imagem de forma ainda mais simples: o TinyJPG e o TinyPNG.
Para usar, é bem simples: basta carregar as imagens para o site (máximo de 20 imagens por vez) e deixar que ele faça tudo. Vamos testar na prática?
Selecionei uma imagem da Fotolia com muitos tons de cores para testarmos o poder de compressão do serviço:

Imagem Original (263kb)

holi berlin
Depois disso, acessei o site TinyJPG e fiz o Upload da imagem acima. Em poucos segundos a compressão é feita, possibilitando o download da imagem otimizada logo em seguida.
tiny-jpg
Veja como ficou:

Imagem Otimizada (140kb)

otimizar-suas-imagens-para-web-sem-perder-qualidade-tiny-jpg-depois
Uma redução de quase 50% no tamanho da imagem com praticamente nenhuma perda de qualidade. Legal né?
Utilizando qualquer uma das duas formas citadas você conseguirá uma significativa melhora no tempo de carregamento de suas páginas.
Lembre-se que sites que carregam mais rápido são favorecidos pelo Google e outros mecanismos de buscas. Otimizar imagens é um dos processos de SEO (Search Engine Optimization).
Ah, vale lembrar também que esse tipo de otimização é válido somente para web. Caso seu projeto seja gráfico, talvez o melhor seria trabalhar com a forma “bruta” (sem compressão) da imagem para garantir uma boa impressão.
Conhece mais dicas para deixar suas imagens ainda mais leves em seus projetos? Compartilhe com a gente nos comentários logo abaixo!
Fonte: https://www.designerd.com.br

Jornal sustentável japonês se transforma em planta após leitura


O mundo digital chegou com tanta força que as mídias tradicionais de notícias estão perdendo cada vez mais seu espaço para os leitores. Querendo recuperar um pouco e pensando no lado sustentável do papel, um jornal japonês chamado “The Mainichi”, resolveu inovar e principalmente ajudar o meio ambiente com sua ideia.
O veículo criou um papel de jornal feito de material reciclado e de sementes compactadas ainda na hora da fabricação. Depois de lido, você só precisa colocar o papel em um vaso com terra e regar com frequência, transformando sua leitura diária em uma planta.
A ideia genial serviu de inspiração para grandes cidades do mundo que estão pensando em aderir o projeto.





Fonte: http://www.criatives.com.br/

Calculadora para Freelancer



Você sabe quanto vale a sua hora de trabalho?
Esta ferramenta do site 99 Jobs permite calcular o tempo do seu serviço, mostrando o valor com base nas horas trabalhadas, entretanto ela não calcula o seu empenho no serviço ou aquele toque artístico.
Defeito horrível é cobrar muito barato por um bom serviço, pois perde toda a credibilidade. Padronizar os preços também não é uma boa ideia, como disse anteriormente, cada projeto tem seu emprenho e esforço, uns serão mais desafiadores e outros você “tira de letra”.
Um Freelancer cobra de forma diferenciada cada projeto, a calculadora será maravilhosa para ter uma BASE de quanto cobrar ao seu cliente.
Tela 1 da calculadora:


Fonte: http://tanquedesign.16mb.com/

As melhores fontes de 2016 (gratuitas)


Um amor, uma palavra: tipografia. O ano de 2016 está recheado de novidades, inovação tecnológica e muitos trabalhos incríveis, inclusive se tratando das fontes. Se você estava buscando opções para usar em seu projeto, poderá conferir abaixo uma seleção especial, feita por nós. Usamos como referência o que blogs mundiais estão indicando sobre as melhores fontes gratuitas do ano, até os dias atuais. Aproveite! É só clicar nos títulos para baixar.
106
061
016
019
022
058
086
068
a
018
041
053
060

Fonte: http://www.designculture.com.br/

5 DICAS DA ADOBE PARA SE TORNAR UM DESIGNER DE SUCESSO


A Diretora Senior da Adobe, Jamie Myrold, traz 5 dicas que com certeza te ajudarão a se tornar um designer melhor: só depende de você!

Como pessoas em outras áreas, o designer tende a cair num trajeto de carreira:
Se o seu primeiro trabalho for numa companhia de software, é provável que o próximo emprego também seja. Caso comece numa ONG, é provável que parte para outras. A não ser que você fazer escolhas de carreira deliberadas, é claro.
Os desafios de carreira  a serem resolvidos variam de designer para designer e de uma empresa para outra. Mas as seguintesregras cobrem a maior parte deles.

1. O bom designer faz perguntas SEM MEDO

Um job é um só um job, mas uma carreira é um problema de design.
A primeira habilidade que um designer precisa ter é a confiança para fazer perguntas. Não há problema em não saber tudo, e inclusive é até bom que não saiba pois isso te forçará a estar mais aberto a questionamentos.
Perguntas pode ser difícil, ainda mais quando você está rodeado de pessoas de maior hierarquia que te deixam com medo de parecer burro.
Mas se manter em silêncio é tão ruim quanto – afinal, você está numa reunião pois essas pessoas querem a sua ajuda, e a única maneira de você realmente resolver o problema delas é saindo sem dúvidas.
Isso é essencial para se tornar um designer melhor e criar a melhor marca da sua vida (ou qualquer outro projeto de sucesso)!

2. Pegue todas as oportunidades de liderança que encontrar

Você trabalha duro e não chega a lugar nenhum enquanto outros vão avaçando? Parece contraditório, mas é bem comum de acontecer.
Fato é que algumas pessoas parecem ser um carisma e liderança inatos, mas também é fato que isso pode ser aprendido – inclusive por você!
Para se tornar um grande designer, é necessário se promover: seja escrevendo em um blog (oi!), participando de concursos ou simplesmente se envolvendo em grandes projetos.
E não, não é difícil de se envolver em um grande projeto: há várias ONGs por aí precisando da sua mão-de-obra, basta você querer ajudar. Eu mesmo trabalho para uma think tank da ONU e não foi nada difícil conseguir a vaga!
Ao contrário da galera de MBA que já recebe treinamento de liderança antes de entrar no mercado, você como designer terá que correr atrás dessas habilidades: como em cursos gratuitos do edX, por exemplo.

3. Seja o Evangelista de Design na sua empresa (mesmo se ela desprezar o design)

Nem todas empresas apoiam o “modo designer de pensar”, e se você estiver em uma delas, você tem dois problemas a resolver:
• Fazer designs bons e lucrativos;
• Fazer os líderes entenderem a importância do design na empresa.
As vezes a empresa sabe que seu  site que não está gerando lucro, ou que seu app tem funções mal usadas, mas ela não sabe que você pode resolver esses problemas (que você é mais que o cara que deixa as coisas bonitas).
Nesses lugares, você tem que se tornar um pregador da palavra do design, trazendo credibilidade ao design através dos seus trabalhos na organização.
Vi muita gente que foi contratada para ser um mero designer e acabou liderando um departamento inteiro, e todos eles tinha uma coisa em comum:
  • Uma vontade natural de resolver problemas;
  • A determinação para melhorar os processos;
  • Um desejo de se conectar com as pessoas da organização.

4. Faça a amigos fora do setor de design

Geralmente, o designer se mantém na dele, alheio a todas oportunidades ao seu redor.
Essas oportunidades não irão se revelar: é seu trabalho caçá-las ao fortalecer seu networking com pessoas ao longo de toda a empresa.
Ao ensiná-los o processo de design e como ele pode impactar a empresa estrategicamente, o designer pode criar “excitação” por todos os times – afinal, o quão mais você envolve as pessoas, mais elas se importam com seu trabalho.
Comece se aproximando dessas pessoas aos poucos, procurando aquelas que parecem realmente apreciar a sua profissão: esses são os mais propensos a advogar a favor do design.
Descubra seus desafios e inclua-os em projetos através de reviews e conselhos (não os de “aumenta o logo”, obviamente, mas sim funcionais). São esses que podem te ajudar a resolver um problema técnico ou comercial, por exemplo.
Quanto mais respeitada essa pessoa for na empresa, mais respeito você pode vir a ser! Só cuidado para não ser o interesseiro.

5. Persiga os problemas interessantes

O que acontece se um designer tenta promover a prática do design, mas não tem nenhum progresso?
Se perguntar se há problemas melhores a serem resolvidos; a resposta depende do quanto você acredita no projeto para o qual foi contratado.
Ter um senso de orgulho no seu trabalho tende a gerar a energia essencial para vencer obstáculos, portanto, se a sua empresa não vende algo com o qual você se importa, será difícil fazer alguma diferença na empresa.
Talvez seja a hora de procurar outra vaga, ou até mesmo começar seu home office – hoje em dia, há oportunidades para designers em todos os lugares.
E se você estiver com medo de cair fora (afinal, estamos em crise), tente usar seu tempo para afiar a sua carreira em vez de assistir Netflix!
Fonte: http://www.temporalcerebral.com.br/

Holovect é a prova de que já vivemos no futuro! Hologramas no ar, eles finalmente chegaram


Disponível no Kickstarter, o Holovect Mk II é um protótipo de aparelho que literalmente desenha no ar. Esse não é o primeiro projeto que promete hologramas (embora a empresa os denomine “imagens vetoriais volumétricas”), mas certamente é um dos mais impressionantes.

O grande diferencial desse projeto, é que ao contrário de muitos outros, ele não necessita de uma superfície visível que reflita os raios de luz. Aqui, utilizando lasers e manipulações de ar em determinada área, as projeções podem ser vistas de qualquer ângulo, e até “tocadas”.

O foco do Holovect é em arquitetos, artistas, programadores, e até o consumidor comum. O aparelho proporciona que os projetistas criem seus desenhos e os transformem em hologramas instantaneamente, ainda com a possibilidade de fazer modificações em tempo real.

Uma das desvantagens é seu tamanho – o aparelho projetor não é pequeno, consiste de uma base que manipula o ar em um cubo 12cm x 12cm x 12cm, e um projetor que dispara os lasers. E ele também não é barato. Para conseguir colocar as mãos no equipamento você deve apoiar o projeto com pelo menos US$ 799. Para adquirir a versão com hologramas coloridos e maior área de atuação, o desembolso é bem maior, US$ 1800.

Fonte: http://www.b9.com.br/
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial