Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Cores

Curiosidades sobre cores

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Designer x Arte finalista

Diferença entre Arte finalista e Designer

terça-feira, 26 de abril de 2016

Que tipo de designer você poderá se tornar?


O post to Design Tips de hoje foi retirado e traduzido do blog Inspiredology, podendo ser conferido em sua versão original pelo link.
Design Gráfico é uma área repleta de diferentes caminhos em termos de carreira. Graças a Internet, smartphones e a tecnologia contida em computadores portáteis atualmente (tablets, notebooks, etc) ser um designer gráfico significa ir muito além do tradicional “reino do impresso”. Sim, hoje em dia há uma lista interminável de trabalhos disponíveis na área, mas, essencialmente, há algumas poucas categorias que englobam a grande maioria dos trabalhos em design gráfico:

Publicidade e entretenimento

Muitos trabalhos em design gráfico partem da esfera do entretenimento. É claro que os afazeres variam absurdamente, dependendo de onde você trabalha, mas, de maneira geral, as principais habilidades que essa área demanda são a animação em Flash e a perícia em design gráfico impresso. Publicidade inclui um vasto número de companhias que produzem versões eletrônicas e impressas de todo o seu material de comunicação. Portanto, design nesta área envolve conhecimentos de tipografia, montagem de layout offline e online, criação de anúncios, além da manipulação de fotografias. No ramo do entretenimento, empresas geralmente contratam designers para desenvolverem as cenas dos créditos inicial e final do filme, além de seu material promocional, eletrônico e impresso.

Propaganda

Apesar deste ser o caminho mais fácil para trabalhar com grandes marcas, o trabalho na área pode ser incrivelmente desgastante, uma vez que é necessário constantemente atender às expectativas do cliente. O trabalho pode ser dinamico, excitante e diverso, contudo, se você busca um emprego de 8 às 6, este não é para você. Agências de menor porte, no entanto, muitas vezes se especializam em serviços mais específicos. Tais serviços incluem online branding e estratégias contínuas de marketing. Por possuírem geralmente uma carteira menor de clientes, agências deste porte tendem a oferecer uma agenda definida de horários.

Agências de design

Agências de design irão, geralmente, focar os seus esforços na produção de design gráfico e em estratégias de comunicação visual. O tamanho varia de um lugar ao outro, contudo, agências desse tipo tendem a ser menores, com menos de 50 pessoas trabalhando nelas. Se você adora design de embalagens, logos, design de folders, este é o lugar para você.

Marketing Corporativo

Marketing Corporativo possui suas vantagens e desvantagens.  Enquanto você tem a oportunidade de conhecer bem todas as necessidades e demandas do seu cliente (pois, muitas vezes, ele é o único) o escopo de variedade daquilo que você irá fazer também é reduzido. Profissionais de design gráfico deste ramo ajudam a empresa a produzir material de comunicação, treinamento interno e campanhas promocionais.

Freelancer

A liberdade de escolher em quais projetos irá trabalhar, construir uma base de clientes personalizada e de manusear os horários do dia de uma maneira flexível são, geralmente, os principais atrativos que levam alguém a se tornar freelancer, mas a realidade pode ser bem longe disso. Ser um designer gráfico freelancer não é para todo mundo, uma vez que não há garantia de salário mensal, longas horas de trabalho e projetos que atendam a uma audiência variada. O ideal é ingressar no mundo do freelancing aos poucos, alinhando, durante algum tempo, a carreira de freelancer com a de um designer nas áreas listadas acima. Dessa maneira, o designer pode criar portfólio e se sustentar durante os primeiros meses como freelancer. É mais difícil, mas, sem dúvida, compensa. Sites como o WeLancer são uma excelente maneira de ingressar no mundo do design freelance, visto que o custo de participação nos concursos é inexistente e a possibilidade de lucro imediato é grande.Tudo depende do seu talento e dedicação.
Fonte: http://blog.welancer.com/

21 fatos surpreendentes sobre o acidente nuclear de Chernobyl



Entre os 10 lugares mais poluídos do planeta Chernobyl está entre eles. A região foi, afinal, o cenário do maior acidente nuclear de todos os tempos, que aconteceu no dia 26 de abril de 1986, depois que os operadores da usina nuclear ucraniana realizaram um experimento malsucedido com o reator 4.
Só para você ter ideia, a quantidade de material radiativo liberado na explosão de Chernobyl foi pelo menos 100 vezes maior do que o material liberado nas explosões em Hiroshima e Nagasaki, durante o final da Segunda Guerra Mundial. A seguir, confira mais algumas curiosidades sinistras sobre a terrível história de Chernobyl:
1 – O acidente em Chernobyl é o único que atingiu o nível 7 na Escala Internacional de Eventos Nucleares, o que o torna o maior acidente provocado pelo homem em toda a História.
2 – Para conter a situação, cerca de 800 mil pessoas se arriscaram e acabaram se expondo à radiação. Dessas pessoas, 25 mil morreram e 70 mil ficaram com sequelas graves.
3 – Dessas 25 mil pessoas que morreram, 20% cometeram suicídio.
4 – De acordo com o Greenpeace, o acidente acabou provocando a morte por câncer de 93 mil pessoas em todo o mundo.
5 – Muitas pessoas acabaram voltando à região infectada com a intenção de receber benefícios do governo.
6 – Existem planos de usar as regiões ao redor do acidente para atividades que envolvam estudos sobre lixo radiativo e a interferência desse material em áreas naturais.
7 – Estima-se que mais de 5 milhões de pessoas vivem em regiões consideradas contaminadas pelo acidente.
8 – A região acabou se tornando um santuário de vida selvagem, abrigando populações de lobos, veados, castores, águias e diversos outros animais.
9 – Todas as residências renovadas de Chernobyl hoje têm uma placa com o nome de seus proprietários.
10 – Depois do acidente nuclear, a floresta da região deixou de ser verde e se tornou avermelhada.
11 – A saúde física e psicológica das pessoas afetadas pelo acidente nuclear é, ainda hoje, o maior problema de saúde pública do mundo.
12 – As mulheres grávidas que estavam na região do acidente foram orientadas a realizarem abortos, para que seus filhos não nascessem com graves problemas de má formação.
13 – Felizmente, o número de mortes provocadas por câncer ou outros problemas de saúde ocasionados pelo acidente foi menor do que o esperado.
14 – A Bielorrússia teve 70% de seu território contaminado devido ao acidente nuclear de Chernobyl.
15 – De acordo com a NRC, a Comissão Reguladora Nuclear dos EUA, 28 dos trabalhadores da usina de Chernobyl morreram nos quatro meses que sucederam o acidente.
16 – Segundo o Greenpeace, pelo menos 60 mil casos de câncer na tireoide tiveram relação com o acidente.
17 – De todo o material radiativo do acidente, 97% continua no local.
18 – Segundo a comissão do Fórum de Chernobyl, espera-se que mais 9 mil pessoas ainda morram de câncer em decorrência da exposição radiativa.
19 – Duzentas toneladas de material radiativo estão em Chernobyl ainda.
20 – O último reator de Chernobyl foi desligado há apenas 14 anos.
21 – Especialistas afirmam que a região vai levar pelo menos mais 100 anos até ser considerada livre de poluição radiativa.
Fonte: http://www.megacurioso.com.br/

5 fatos surpreendentes que você talvez desconheça sobre o sistema solar


1 – O planeta mais quente não é o mais próximo do Sol

Se tivéssemos que pensar pelo lado lógico da coisa, o mais normal seria que o planeta com as temperaturas mais altas do sistema solar fosse o que se encontra mais perto do Sol, ou seja, Mercúrio, certo? No entanto, o mundo mais “infernal” da nossa vizinhança é Vênus — que é o segundo planeta mais próximo partindo da nossa estrela e se encontra mais de 48 milhões de quilômetros mais distante do astro-rei do que Mercúrio.
Life Hacker
Isso se deve ao fato de Mercúrio ser desprovido de atmosfera e, portanto, ser incapaz de reter o calor proveniente do Sol. Assim, embora a sua superfície possa registrar tórridos 450 °C durante o dia, a temperatura pode despencar para – 170 °C à noite, acumulando uma variação de mais de 600 graus em um único dia — a maior no sistema solar.
Vênus, por sua vez, possui uma atmosfera 100 vezes mais densa do que a nossa — o que seria mais que suficiente para evitar que parte do calor solar escapasse para o espaço. Entretanto, a atmosfera venusiana é composta quase completamente por dióxido de carbono, que, como você sabe, é um poderoso causador do efeito estufa e, portanto, não deixa que o calor seja liberado. Assim, sua temperatura média ronda os 470 °C, quente o suficiente para derreter chumbo!

2 – George Lucas faltou à aula sobre o Cinturão de Asteroides

Aliás, não foi somente George Lucas quem faltou à aula sobre o Cinturão de Asteroides — quase todos os cineastas que curtem o gênero de ficção científica parecem ter faltado também! Isso porque é bastante comum que eles retratem os personagens dos filmes em apuros ao passar com suas espaçonaves através desses “perigosos” locais tendo que provar suas incríveis habilidades como piloto para saírem deles ilesos.
Star Wars
Acontece que o único cinturão de asteroides do qual temos conhecimento — pelo menos aqui no sistema solar — se localiza entre as órbitas de Marte e Júpiter. Embora seja composto por dezenas de milhares de objetos de tamanhos variados, eles se encontram tão dispersos que seria muito difícil colidir contra um deles. Só para você ter uma ideia, em média, eles estão entre 1 milhão e 3 milhões de quilômetros uns dos outros.
Na verdade, de acordo com os astrônomos, uma nave teria que ser deliberadamente guiada para se aproximar de um asteroide do cinturão para que os pilotos pudessem inclusive fotografar um desses objetos mais de perto. Sendo assim, tomando como exemplo a forma como o cinturão de asteroides se formou e evoluiu no sistema solar, é pouco provável que um viajante espacial tenha problemas com locais semelhantes em outros pontos do cosmos.

3 – Plutão não marca o limite do sistema solar

Muita gente acredita que o sistema solar “termina” em Plutão, o planeta-anão que se encontra a longínquos 5,9 bilhões de quilômetros do Sol. Contudo, nas últimas décadas, os astrônomos descobriram que existem outros tantos objetos que também orbitam ao redor da nossa estrela e que se encontram muito além de Plutão — muito, muito além!
Mashable
O Cinturão de Kuiper, por exemplo, é uma região do sistema solar que se estende desde a órbita de Netuno até cerca de 50 a 60 UA — de unidades astronômicas, em que cada UA corresponde à distância média entre a Terra e o Sol, ou seja, 149.597.870.700 metros — do Sol.
Por certo, Plutão e outros corpos celestes, como Éris, Caronte e Makemake, se encontram inseridos no Cinturão de Kuiper e, além dele, ainda temos a Nuvem de Oort, que se situa a 50 mil UA do Sol — ou mais de mil vezes mais distantes do que o planeta-anão.

4 – O maior oceano do sistema solar é jupteriano

Os oceanos cobrem cerca de 335 milhões de quilômetros quadrados (ou perto de dois terços) do nosso planeta, somam um volume total estimado em aproximadamente 1,34 bilhão de quilômetros cúbicos e possuem uma profundidade média de quase 3,8 mil metros. Você achou muito? Então, imagine o tamanho do oceano de Júpiter, cuja profundidade os astrônomos estimam pode chegar aos 40 mil quilômetros!
University of Glasgow
A órbita de Júpiter se encontra cinco vezes mais distante do Sol do que a da Terra, o que permitiu que, desde a sua formação — há bilhões de anos —, o planeta mantivesse níveis muitos mais altos de hélio e hidrogênio do que os nossos. Tanto que esses são os dois principais elementos que compõem Júpiter.
Dada a sua massa e composição química, de acordo com as leis da física, sob as frias nuvens que cobrem Júpiter, a pressão deve ser alta o suficiente para fazer com que o hidrogênio se encontre em sua forma líquida. Na verdade, simulações apontaram que o planeta não só deve contar com um imenso oceano como este deve ser o maior de que se tem notícia no sistema solar.

5 – Existem rochas marcianas na Terra — e elas não foram trazidas por sondas espaciais

Não é segredo que o nosso planeta é constantemente bombardeado por objetos vindos do espaço. Uma variedade de análises químicas conduzidas em rochas espaciais encontradas em diversos locais da Terra — como na Antártida e no deserto do Saara — revelaram que algumas delas não chegaram aqui aleatoriamente, mas sim vieram de Marte.
The Mary Sue
Os testes apontaram, entre outras coisas, que alguns exemplares contêm pequenos bolsões de ar — e seu conteúdo é quimicamente idêntico à atmosfera marciana. Ninguém sabe dizer ao certo como essas rochas vieram parar aqui no nosso planeta, mas entre as teorias propostas pelos astrônomos está a possibilidade de que elas tenham sido lançados ao espaço após a colisão de um asteroide em Marte ou, quem sabe, durante uma espetacular erupção vulcânica.
Fonte: http://www.megacurioso.com.br/

Microsoft decide parar de fabricar o Xbox 360

Console fez 10 anos em 2015; Xbox One, o sucessor, foi lançado em 2013.
Donos do aparelho continuarão a ter suporte da empresa.



A Microsoft colocou um “game over” na história de mais de dez anos do Xbox 360. A empresa informou nesta quarta-feira (20) que decidiu interromper a produção do videogame e apenas continuar a vender os consoles que estiverem em estoque.
“O Xbox 360 significa muito para todo mundo da Microsoft. E enquanto nós tivemos uma incrível jornada, as realidades de fabricação do produto ao longo de uma década de idade estão começando a nos arrastar para fora do jogo. É por isso que tomamos a decisão de interromper a fabricação de novos consoles Xbox 360”, afirmou Phill Spencer, chefe da divisão Xbox.
“Nós iremos continuar a vender o estoque existente de Xbox 360, conforme a disponibilidade de cada país.”
O console chegou aos 10 anos em novembro de 2015. Desde seu lançamento, já foi usado que jogassem 78 bilhões de horas, segundo a Microsoft. A empresa lembra ainda que a franquia de jogos de tiro “Gears of War” nasceu com o videogame. O sensor de movimentos Kinect foi criado como acessório do videogame mas passou a ser usado para outras atividades para além dos jogos.
Mesmo com o fim do Xbox 360, os amantes dos títulos para o primeiro videogame da Microsoft não estão totalmente na mão. Desde o ano passado, é possível jogar games do console no Xbox One.
Os donos de Xbox 360 continuarão a receber suporte da Microsoft. Os serviços da Xbox Live serão mantidos, assim como a venda de cerca de 4 mil games e acessórios para o console.

Fonte: http://g1.globo.com/

Coca-Cola mostra o novo design das latas e garrafas


A Coca-Cola anunciou no começo do ano uma iniciativa que iria unificar o design de todas as marcas que envolvem o refrigerante, como a Coca Diet e Coca Zero. Esta semana a empresa revelou como devem ficar as novas latas e garrafas dentro dessa iniciativa, chamada “one brand”. Veja acima como ficam as latas dos quatro refrigerantes Coca-Cola – vale lembrar que a Coca Life não é vendida por aqui.

A mudança no design dos produtos acontece a partir de maio deste ano e começa no México, para depois ser disponibilizada no resto do mundo. A principal mudança é que agora todas as latas e garrafas contarão com o elemento do “disco vermelho”, não importa se é a Coca-cola comum, a Coca Zero ou a Coca Diet. Veja abaixo como ficam as garrafas.



De acordo com James Sommerville, vice-presidente global de Design da Coca-cola, com o novo design da embalagem, “a empresa sinaliza uma mudança na sua linguagem visual em que o disco vermelho clássico é mais proeminente do que os outros elementos associados à marca”. A Coca-Cola também disse disse que, embora o elemento-âncora do design seja mesmo o disco vermelho, o design pode variar de país para país.

Ainda não há uma data para as novas latas e garrafas chegarem ao Brasil mas a mudança vai levar tempo – deve terminar apenas em 2017.

Fonte: http://www.b9.com.br/
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial