segunda-feira, 20 de junho de 2016

5 MANEIRAS INTELIGENTES DE CRIAR UM CONTEÚDO QUE VAI MUITO ALÉM DO BÁSICO

Há uma quantidade impressionante de conteúdo publicado nas mídias sociais a cada minuto (1,3 milhões de mensagens do Facebook, 350 mil tweets e 100 horas de vídeo), e muito disso é realmente bom. Muito bom. Empresas grandes e pequenas aperfeiçoaram a arte de contar histórias em seus canais de social, e conteúdos corporativos acumularam uma quantidade enorme de seguidores no YouTube e Instagram.



Alguns exemplos são marcas como a GoPro, que transforma o cliente no herói de seu conteúdo, e estrelas de mídia social que venceram por esforço próprio, como Bethany Mota, que conseguiu o tipo de público fiel persistente com o qual muitos departamentos de marketing apenas sonham. Isso significa que os consumidores estão saturados com conteúdo de alta qualidade.
Então, como as marcas se destacam e são notadas no tumultuado mundo da mídia social? Com certeza é possível, mas não é fácil; isso requer consistência, criatividade e pensamento inovador.
Recentemente, conversamos com vários especialistas no tema para entender como eles fazem seu conteúdo digital se destacar. O conselho foi compilado em um guia detalhado de mídia social para profissionais de marketing de conteúdo, que já é um de nossos white papers mais baixados.
Selecionamos cinco dicas do guia que você pode aplicar hoje à sua estratégia de mídia social.

1. Tenha certeza de que seu conteúdo passa no teste “Eu pagaria para que as pessoas vissem isso?”

Essas dicas são de David Kellis, Diretor de RP e Mídia Social da The Clorox Company. Ele recomenda que antes de publicar uma parte do conteúdo, você deve se perguntar: “Eu pagaria para promover esse post, tweet ou pin?”. Se a resposta for não, então você deveria recomeçar do zero.
Essa é uma excelente maneira de manter sua equipe sob controle e garantir que estejam sempre publicando um conteúdo consistente e incrível.

2. Faça de sua paixão e personalidade parte de seu conteúdo

Eu gosto muito dessa. Na verdade, minha filosofia de marketing pessoal é: “Só faça marketing para empresas e produtos em que você realmente acredita e pelos quais sinta entusiasmo“. Por que? Porque sim. Se você é um vegano devotado que gerencia a conta de mídia social do McDonalds, é provável que você não acredite verdadeiramente no conteúdo que está criando, e seu público vai sacar isso.
[ads2]
Jason Miller, que lidera as iniciativas globais de conteúdo e social para o LinkedIn Marketing Solutions, afirma:
“Se conseguir colocar sua personalidade em suas atitudes e na mensagem que compartilha, você estará um passo à frente no jogo do marketing de conteúdo. O público pode sentir quando uma pessoa gosta de um determinado tópico e se é sincera ou não na mensagem que entrega. Além disso, paixão acrescenta credibilidade e confiança que, na minha opinião, estão faltando no conteúdo que vemos na internet hoje.”
Ele sugere que os criadores de conteúdo de social incorporem elementos de suas paixões pessoais em seu conteúdo. Por exemplo, Jason sempre mistura referências de rock em seus posts (ele é um fotógrafo de rock e fã de música).
Imagem 3

3. Trate sua mídia visual como uma manchete

Há uma citação famosa do pai da propaganda, David Ogilvy, que diz: “Em média, as pessoas leem cinco vezes mais a manchete do que o texto na íntegra. Depois de ter escrito sua manchete, você gastou oitenta centavos do seu orçamento”.
Jason Miller sugere que no social as imagens funcionam como manchetes. Afinal de contas, você tem meros segundos para chamar a atenção de seu público.
Tratar seu visual como a nova manchete é uma maneira de se destacar. “Eu vi muitos exemplos de conteúdo baseado em texto reaproveitado em um formato visual e atingir 10-15 vezes mais visualizações do que o original. Essa é uma virada de jogo no mundo do marketing de conteúdo.”
Imagem 4
Esta foto incrível do Messi (publicada pela Adidas) chama sua atenção imediatamente, mesmo em um feed lotado do Facebook.

4. Faça do cliente o herói de sua história

É fácil para as marcas se empolgarem com o que está sendo dito sobre elas no social. Afinal, muitas empresas ainda estão presas no modo como fazíamos marketing: comerciais de TV, spots de rádio e outdoors falando ao cliente sobre como seu produto é impressionante.
Michael Brenner, Diretor de estratégia da NewsCred, alerta os profissionais de marketing de conteúdo que um dos erros mais comuns (e prejudiciais) que eles cometem é criar muito conteúdo só sobre a marca, o que faz o público se desinteressar.
“Para ser interessante, uma marca precisa criar um conteúdo que seja 100% para o público. Tire a marca da história. Transforme o cliente em herói e seu público prestará atenção. Valor não é negociável no cenário atual de informações supercompetitivas.”

5. Inclua uma narrativa de defesa da marca em sua estratégia de conteúdo

Marketing de conteúdo não é só publicar e promover conteúdo gerado pela marca. Michael Brito da agência digital WCG incentiva as empresas a incluirem uma narração participativa em sua estratégia de marketing de conteúdo.
A narração participativa nada mais é do que capacitar, treinar e mobilizar defensores da marca, tanto funcionários quanto clientes, para participarem de conversas e contarem a história da marca.
Michael afirma:
“A narrativa da marca é mais do que apenas um conteúdo, publicidade nativa ou campanhas criativas no Facebook. Ela também envolve a mobilização de funcionários para participarem e alimentarem o motor do conteúdo. E isso não se limita aos funcionários tweetarem ou compartilharem notícias da empresa no social, mas sim encontrar boas histórias sobre a marca, seus produtos ou funcionários e usar conteúdo de longa duração para informar as pessoas sobre ele.
As empresas devem mobilizar stakeholders, desde funcionários até clientes e a mídia, para participarem do seu marketing de conteúdo e ajudarem a contar a história da marca sob sua própria óptica.

Fonte: http://publicitei.com.br/
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário