Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Cores

Curiosidades sobre cores

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Designer x Arte finalista

Diferença entre Arte finalista e Designer

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

As tendências criativas para 2015, pelo Shutterstock








Fonte: http://www.designculture.com.br/

Mitos editoriais


Lendo meu livro “Design editorial” no final de semana, me deparei com uma página de dicas importantes para a carreira do designer editorial e resolvi compartilhar com vocês. Afinal de contas, aposto que tem muita gente querendo pegar uns freelas de diagramação e desenvolver seus próprios projetos gráficos.
Verdadeiro ou falso?
A capa é a página mais importante em qualquer revista.
Cada vez mais verdade. Se a capa não atrair a atenção do leitor, então, todo o trabalho interno será desperdiçado. Para as revistas digitais, a capa é um ponto de entrada, é uma home page que reforça a marca. Na web, as revistas são representadas em miniaturas como ícones e as capas, portanto, têm de fazer o possível para serem memoráveis, mesmo em tamanho minúsculo.

Os designers existem apenas para fazer o que os editores dizem.
Os designers são parceiros e iguais no processo criativo. Eles colocam lenha na fogueira e podem fazer com que um conteúdo editorial chato pareça bom. A melhor equipe editor/designer é a que tem respeito mútuo e parceria.

 Toda imagem precisa de uma legenda.
Se você quer que os leitores sigam o significado de uma fotorreportagem, então cada imagem precisa de uma legenda. Se as imagems forem utilizadas como elementos decorativos, então isso não será necessário. As imagens sempre precisam ser creditadas ao fotógrafo ou à agência que as forneceu. A violação de direitos autorais não é uma boa prática de design e deve ser evitada.

O dinheiro gasto em fotografia ou ilustração originais vale cada centavo.
Criar algo original é o que motiva os designers. Se o orçamento permite um novo material, então, vale a pena criar algo único para a revista. Além disso, os direitos de usar de novo a imagem podem ser incluídos na taxa original. Um editor pode, assim, começar a construir uma biblioteca de imagens que podem ser reutilizadas. Revistas de moda e estilo de vida lucram vendendo imagens dessa forma.

Usar imagens gratuitas da internet é o caminho do futuro.
Visar um produto exclusivo deve ser a grande prioridade. A produção de imagens originais não pode ser ignorada, mas isso pode ser caro. Lembre-se de que as imagens disponíveis gratuitamente na internet podem aparecer em qualquer lugar. Se usar imagens da web, as fontes devem receber os devidos créditos e cuidados devem ser tomados para verificar a permissão de uso.

Espaço em branco não vende revistas.
Se o espaço em branco agrega elegância à atmosfera e narrativa visual (tensão/ausência), então, ele tem valor. Se ele existe simplesmente para esticar o texto e preencher as páginas, então não tem valor editorial.

Fonte: http://www.designculture.com.br/

A FREQUÊNCIA “PERFEITA” PARA POSTAR NAS REDES SOCIAIS


Quantas vezes postar nas redes sociais? Descubra a frequência “perfeita” para postar no Facebook, Twitter, Google+, Instagram e muito mais…
Sabe aquela comida que você adora? Então, imagina ter que comê-la todos os dias, em todas as refeições. Por mais que você ame determinado prato, uma hora você vai enjoar.
Não ficou convencido? Acha impossível enjoar do strogonoff da sua mãe ou de comida japonesa? Então pense naquela música que era ótima, mas tocou tantas vezes em tantos lugares possíveis, que acabou se tornando maçante.
O mesmo acontece com um planejamento digital. Por mais que você adore determinado assunto ou marca, se isso começa a aparecer demais na sua timeline, pesquisas e caixa de entrada, você simplesmente enjoa.
Desta forma, assim como comer aquele prato maravilhoso em uma ocasião especial faz dele ainda melhor, as marcas e geradores de conteúdo devem dosar sua frequência nas redes sociais.
Saber quantas vezes postar é a linha tênue entre ser chato e maçante ou relevante e memorável.
Veja o infográfico que o Viver de Blog preparou para você saber a frequência ótima para você postar nas redes sociais.
Você saberá as respostas para perguntas do dia-a-dia, como:
  • Com que frequência devo postar no blog?
  • Quantas vezes posso postar no Facebook?
  • Quantas vezes posso postar no Twitter
  • Quantas vezes posso postar no Instagram por dia?





Fonte: http://viverdeblog.com/

A COR DO ANO 2015 SEGUNDO A PANTONE


Todo ano a PANTONE lança uma nova tendência de cor, qual será a cor do ano de 2015?

Marsala é o nome dela. Segundo a Pantone, essa cor possui qualidades impactantes, e é realmente elegante quando usada sozinha ou quando sobresai acompanhada de outras cores.

Nem todos levam essa tendência ao pé da letra, mas a Pantone leva essa escolha muito a sério. Cada ano a Pantone reúne uma comissão que se reúne em segredo duas vezes ao longo dos 12 meses. Os coloristas lançam conceitos de paletas, debatem as tendências relacionadas a cores escolhidas a partir de especialistas de mundo - e, finalmente, escolhem qual tonalidade será o “new black“.

Da onde vem esse nome?

O nome deu-se em função de um vinho que possui a coloração muito parecida com a cor. O tom coloroso e elegante é universalmente atraente, traduz a moda, beleza, design e decoração.




Algumas paletas de cores com o uso da Marsala



Veja algumas cores do anos anteriores:


Fonte: http://www.marketingcomcafe.com.br/


A diferença entre PPI e DPI


Tendo em vista que há muitas dúvidas de leitores sobre a diferença de PPI e DPI, e se de fato há uma diferença entre esses dois termos, decidi esclarecer um pouco sobre o que cada um deles realmente é,0 apesar de que os 2 estão relacionados a resolução da imagem.

PPI – Pixels Per Inch – Pixels Por Polegada

Para muitos de vocês que utilizam de smartphones ou tablets, e sabendo que o pixel equivale a cada ponto de luz de qualquer monitor, o PPI é utilizado para informar a quantidade de pixels existentes em uma polegada de tela.
É mega importante ressaltar logo no início que o pixel não tem um tamanho fixo, não sendo possível identificar com quantos pixels se faz uma canoa se forma um centímetro da “vida real”. Esses pequenos pontos formam qualquer imagem gerada por monitores que utilizam do sistema de luz para compor imagens, desde displays de câmeras digitais até televisões FullHD ou até a mais recentes 4K.
O número de PPIs mostra quantos pixels cabem em uma polegada (que equivale a 2,54cm), ou seja, quanto mais pixels por polegada maior a resolução do monitor em questão. O que confunde muita gente nessa questão de pixels é achar que quanto maior a tela maior o PPI quando as coisas não acontecem exatamente dessa maneira, saibam que alguns celulares tem mais PPI do que alguns televisores FullHD.
Jogando um pouco da importância do pixel no design, é importante ter uma noção de quantos PPIs em média tem o monitor do usuário a quem será direcionado tua imagem, site, ou qualquer outra criação, pois vocês já devem ter tido a impressão de que as imagens parecem meio desfocadas quando mostradas em monitores diferentes do que o que a concebeu, é tudo culpa do Chaves pixel.
ppi
Como os pixels não tem quase nada a ver com impressão, vou explicar um pouco sobre o nosso amigo DPI.

DPI – Dots Per Inch – Pontos Por Polegada

O DPI por sua vez está diretamente relacionado com a resolução de impressão, seja lá se sua criação foi concebida em softwares que utilizam vetores, como Corel Draw e Illustrator, ou de bitmaps, como o Photoshop e o paint.
A única relação deste com o camarada PPI, é que este depende da quantidade de pixels para que o computadorfaça uma conversão no computador antes que o arquivo seja enviado para a impressão.
O número de DPIs está relacionado a resolução da imagem, basicamente quanto mais DPI melhor a qualidade de imagem impressa, mas isso também possui um jeito bem sistemático de ser atribuído à sua criação dependendo do tamanho da superfície que será impressa, ou seja, não é só colocar 300 DPIs para mandar imprimir qualquer coisa que vai ficar bom.

Vou deixar a explicação dessa quantidade de DPI relacionado ao tamanho da impressão para um próximo post para não confundir a cabeça de vocês.
Fonte: http://www.designculture.com.br/

9 passos para criar a identidade visual da sua empresa


Todos sabem que um bom design é fundamental para criar a identidade da marca. O que deixa o empreendedor em dúvida é outra questão: como um crio um design que traduza o conceito da minha empresa? Mark McNeilly, professor da Kenan-Flagler Business School e colunista da Fast Company, tem a resposta. Ele listou oito princípios fundamentais para criar a identidade visual para a sua marca.
1. O primeiro passo é perceber que marca e design são inseparáveis. Quando você cria uma marca, a intenção é que ela provoque uma reação forte no público, que  passe a reconhecê-la de imediato. Se você conseguir que duas ou mais pessoas tenham a mesma reação, é sinal de que a sua marca tem força. Em muitos casos, essa reação do público está diretamente relacionada ao design. Então, pare de separar as coisas: para todos os efeitos, design e marca são exatamente a mesma coisa.
2. Já que design e marca são a mesma coisa, passe a integrar completamente os dois conceitos. A essência da sua marca tem que estar no design, sempre. Tudo que a Apple representa para o mundo está representando no design de seus produtos. Se você tirar o logo de um BMW, ainda vai saber que é um BMW.
3. Lembre-se: para criar uma identidade visual forte, você precisa estabelecer uma relação emocional com as pessoas. Essa é, em grande parte, a função dos designers. Eles têm que incorporar os valores e objetivos da companhia, e daí transformá-los de maneira a criar uma conexão com o consumidor.
4. O design tem que fazer parte da estratégia da empresa desde o começo. Não é o caso de montar o negócio e só depois pensar no design. Você tem que levar em conta a identidade visual no momento em que escreve o plano de negócio. A marca da Samsung só ficou poderosa depois que o design virou uma prioridade.
5. Chame os designers a participar das reuniões e acompanhar os processos de decisão da empresa. Bons designers sabem fazer as perguntas certas para criar soluções inovadoras. Quem sabe eles não estimulam a inovação nos outros funcionários?
6. Simplicidade é a chave. Nada de incentivar os designers a terem ideias cada vez mais mirabolantes. Quanto mais simples e mais conectadas com a essência da empresa, melhor.
7. Use o design para reinventar continuamente a marca. Mesmo que tenha achado soluções interessantes para compor a identidade visual, saiba que seu trabalho não terminou. Hoje, as marcas precisam se reinventar o tempo todo. O melhor exemplo talvez seja o Google, que muda o seu logo constantemente, para adequá-lo a ocasiões especiais.
8. Sua marca pode fazer diferença no mundo, encorajando as pessoas a se envolverem com questõs sociais e ambientais. E o design pode ser parte disso. Se o seu time conseguir criar um visual que torne o tema da sutentabilidade acessível e divertido, você terá meio caminho andado.
Fonte: http://revistapegn.globo.com/

15 ideias de negócios para montar em casa


Muita gente deseja trabalhar em casa. Se esse é o seu plano, conheça, abaixo, 15 ideias para se inspirar e trocar o escritório pelo home office. Nenhuma destas atividades exige curso superior e as competências para trabalhar com elas podem ser desenvolvidas em cursos profissionalizantes. Conheça:
1. Fotógrafo comercial
Mesmo com a popularização da fotografia digital, existe a procura por serviços profissionais nessa área, seja para a cobertura de um evento, de uma festa, fotografia publicitária (de produtos), editorial de moda, um ensaio fotográfico ou produção de um book.

2. Ilustrador
Muitos ilustradores trabalham em casa como freelancers. O trabalho pode ser realizado para ilustrar livros, apostilas, convites, caricaturas em festas, etc.

3. Estilista
O profissional da moda que trabalha com estilismo pode desenvolver suas coleções e peças a partir de um escritório em casa. Pode tanto trabalhar com marca própria e clientes próprios ou como consultor/profissional contratado por uma empresa do segmento.

4. Desenvolvedor de apps e jogos para celular
Esta é uma carreira relativamente nova mas que conta com amplo mercado para atuação. A partir de conhecimentos na área de programação e desenvolvimento, o profissional poderá trabalhar como freelancer ou contratado de alguma empresa especializada no serviço de criação de aplicativos e jogos para celular.

5. Projetista (Cadista)
Cadista é o profissional experiente em CAD, que é um programa de computador utilizado para desenvolver projetos, produtos e instalações. Escritórios de arquitetura contratam cadistas em home office para detalhar seus projetos. Para ser cadista não é preciso ser arquiteto ou engenheiro.

6. Professor particular
Quem possui conhecimentos específicos em alguma matéria pode dar aulas particulares em casa ou pela internet.

7. Organizador de eventos/festas
Inclui organização, pesquisa, contratação de serviços e acompanhamento de eventos ou festas. O organizador é responsável por administrar as demandas de um evento como flores e decoração, aluguel de salão, contratação de banda, buffet, etc.

8. Restaurador (instrumentos musicais, livros, fotos, documentos)
Conhecedores das técnicas de restauro contam com um mercado interessante para atuação. Muitos órgãos governamentais, ONG’s e até mesmo pessoa física têm requisitado o serviço de restauro de instrumentos musicais, documentos, fotos de família (utilizando o Photoshop), obras de arte, pinturas, livros, etc.

9. Hairstylist (cabeleireiro)
Muitos cabeleireiros famosos começaram assim, geralmente no salão ou barbearia do pai ou da mãe. Mesmo tendo aprendido o ofício com alguém, é fundamental fazer um curso na área para aprimorar as técnicas. Para início de carreira em casa, é possível começar pelo mais simples, como lavagem dos cabelos, corte e escova.

10. Serviços de day-care (crianças ou idosos)
O serviço pode ser pago por hora ou mensalmente e busca auxiliar os pais que precisam trabalhar ou resolver pendências fora de casa e não têm com quem deixar seus filhos. É preciso desenvolver atividades educativas e recreativas de acordo com a idade, além de capacitação para cuidados com criança ou idoso. Consulte a legislação municipal da sua cidade sobre como proceder neste caso.

11. Empresa de mudanças/carreto
Muitos proprietários de caminhonetes e pequenos caminhões passam a prestar este serviço para complementar a renda. O valor é por frete, de acordo com a distância, e é comum cobrar uma taxa extra caso necessite carregadores para o serviço.

12. Organizador profissional
Pessoas que têm facilidade em organizar roupas, documentos e objetos, podem trabalhar como organizadores profissionais. O serviço ocorre na casa ou escritório do cliente, mas você pode administrá-lo de casa.

13. Guia de turismo
Se você é bem informado sobre sua cidade ou bairro (com apelo turístico), está sempre em busca de novas informações e conhecimentos e gosta de interagir com pessoas, tornar-se um guia de turismo pode ser uma boa opção. É muito importante saber falar inglês e ter acesso às informações corretas para repassar aos turistas.

14. Aluguel de bicicletas
Seja voltado para o turista ou para o morador da sua cidade, o aluguel de bikes é um negócio relativamente novo e que tem crescido a cada ano. Neste negócio, é possível alugar bicicletas para adultos e crianças, capacetes, cadeirinhas, luz noturna, etc. Também é comum o agendamento de passeios de bicicleta pela cidade ou arredores, conhecido como cicloturismo.

15. Vendedor online
O vendedor online pode utilizar meios como sites, redes sociais e e-mail para realizar vendas de um determinado produto ou serviço e ser comissionado por isso. Geralmente as porcentagens de comissão não são muito altas, porém, se o vendedor alcançar boas vendas, consegue realizar um bom lucro pelo volume de negócios fechado.

Vale lembrar que é importante estar sempre atualizado com relação à atividade escolhida. Pesquise seu mercado, quais os concorrentes locais e como as pessoas de outros países montaram seu negócio. E é sempre bom aprender mais sobre assuntos complementares à atividade que você vai exercer, como marketing, finanças básicas, empreendedorismo, etc. E, finalmente, buscar informações sobre como trabalhar em casa com mais organização e produtividade.
Fonte: http://revistapegn.globo.com/

12 qualidades dos grandes empreendedores e líderes


Se você deseja se tornar um grande líder, precisa ser diferente das outras pessoas. É importante ter atitudes positivas que ganhem destaque e conquistem todos ao seu redor.
Essa lista feita por Lolly Daskal, consultora internacional na área de liderança, mostra quais são as principais qualidades dos maiores líderes do mundo:

Dar valor

As pessoas precisam sentir que fazem a diferença. Grandes líderes mostram para a sua equipe que todos têm igual importância no andamento da empresa.


Conheça as pessoas

Passe um tempo conversando com as pessoas do seu ambiente de trabalho.  Escutar o que elas têm a falar é muito importante. Quanto mais conexões você criar, mais sua equipe vai se fortalecer.


Seja honesto e transparente

Sempre diga a verdade para as pessoas. Mostre que você não tem medo de contar as coisas mesmo quando tudo está dando errado.


Aceite a culpa

Aceite quando você errar em alguma estratégia ou ação. Não dê desculpas ou tente dividir a culpa.


Divida o crédito

Os maiores líderes sabem que sozinhos não conseguem fazer nada sozinho. É preciso ter uma equipe para ajudar até mesmo nas tarefas mais simples. Todos fazem parte do processo. Portanto, divida com cada pessoa o crédito pelo seu sucesso.


Escute

Tenha certeza de que vocês tá dando atenção, afirmação e apreço para as pessoas ao seu redor. Nunca ignore aquilo que dizem para você.


Delegue responsabilidades

As coisas realmente funcionam bem quando você divide tarefas com as pessoas. Delegar não significa abrir mão para que alguém faça para você, mas sim acompanhar os processos, opinar e ajudar quem está encarregado da tarefa.


Aprecie o talento

Grandes líderes estão sempre procurando talento nos outros e incentivando suas habilidades.


Desafie

Lembre-se que as maiores ideias nascem em situações de desconforto. Grandes progressos acontecem quando você permite desafios para si mesmo e para os outros.


Faça as pessoas se sentirem importantes

Investir tempo e dinheiros no crescimento e aprendizado dos seus funcionários é extremamente importante. Em longo prazo, os custos serão menores do que os de manter uma equipe despreparada.


Inspire

Incentive as pessoas a fazerem o melhor trabalho possível. Mesmo que elas ainda não saibam o potencial que têm.


Crie espírito de equipe

Uma equipe unida é a chave para o sucesso futuro. Os melhores líderes não são os que detêm todo o poder, mas sim aqueles que têm habilidade de dividir tarefas com todas as pessoas.

Para ganhar a simpatia das pessoas, você precisa se envolver nos projetos, oferecer ajuda, criar motivação e dividir tarefas.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/

4 motivos para se tornar um empreendedor


Tornar-se o próprio chefe é um dos principais atrativos para quem decide deixar um emprego para começar a empreender. Mas também existem outras vantagens na abertura de um negócio próprio. O colunista do site da revista "Inc." Jeff Haden enumera quatro bons motivos para sair da vida corporativa e abraçar o empreendedorismo.
1. Encontrar menos “múmias” pelo caminho

Trabalhar em uma grande empresa significa se portar exatamente da maneira que essa empresa determina. Haden defende que, por isso, em muitas situações você acaba sendo muito mais um terno e uma gravata do que uma pessoa. Segundo ele, você vira uma espécie de “múmia corporativa” – uma pessoa faz tudo exatamente da maneira que a empresa deseja. Não que isso seja ruim. É importante vestir a camisa do trabalho. Acontece que, pelo caminho, a maioria das pessoas com quem você se encontra ou mantém algum contato são, também, múmias corporativas. “E múmias são entediantes”, diz ele.

Poder ser você mesmo é um dos pontos positivos de se tornar um empreendedor. Haden destaca que a única pessoa a quem você precisará dar satisfação sobre seu comportamento será você mesmo.
2. Conseguir fazer as coisas do própio jeito

As grandes e boas empresas sabem quais são as habilidades de seus funcionários e gostam de determinar quando, onde e como eles devem utilizá-las. “Você raramente consegue fazer as coisas da maneira que gostaria”, diz Haden. De acordo com o colunista, isso faz com que o empregado se sinta apenas mais uma peça dentro de uma grande máquina.

Isso não muda quando você se torna empreendedor. Quando você começa a administrar o o próprio negócio, continua sendo uma pequena peça dentro de uma máquina. No entanto, você pode determinar quando, onde e como utilizar suas habilidades – o que lhe torna uma pessoa única dentro da empresa.
3. Trabalhar com aquilo que gosta

Haden diz que o número de empreendedores que abrem um negócio em uma área só porque aquele setor parece promissor é muito pequeno. A maioria, diz ele, acaba abrindo uma empresa dentro de algo que goste. “Comece um empreendimento baseado em um interesse seu, um hobby ou uma paixão, e faça mais daquilo do que estaria fazendo de qualquer jeito, mesmo se não houvesse aberto um negócio”, diz. Assim, o equilíbrio entre vida e trabalho acaba sendo atingido com muito mais facilidade.

4. Poder dizer que tentou

“Um dia, você se sentará em uma varanda pensando sobre a sua vida e as coisas que você já fez”, diz Haden. Ele conta que, quando faz isso, se arrepende muito pouco das decisões que tomou e dos erros que cometeu. “Esses erros me ajudaram a ser a pessoa que sou hoje”, afirma. O colunista diz, no entanto, que se arrepende das vezes em que deixou de tentar – especialmente se o motivo para isso foi falta de confiança ou medo do desconhecido. Uma das piores frases que você pode dizer começa com “como seriam as coisas se eu as tivesse feito de um jeito diferente?”. Não olhe para trás e não imagine, aconselha ele. Se você quer começar um negócio, comece. Ainda mais porque, hoje em dia, existem maneiras de limitar o quanto você está arriscando.

Se você falhar, ao menos você poderá dizer, lá na frente, que tentou.
Fonte: http://revistapegn.globo.com/

O que é Efeito Parallax? Como funciona?


Já ouviu falar por aí e não sabe o que é Efeito Parallax? Nós te ajudamos.
Me parece que efeito Parallax está virando tendência ou algo parecido. Está cada vez mais sendo utilizado na web. Com as tecnologias, como HTML5 e CSS3, está se tornando possível criar mais efeitos avançados, interessantes e notáveis no browser. Embora este efeito podem vir a ser um pouco enigmático, quando empregado no caminho certo que pode resultar em um site notável e memorável.

E o que é o Efeito Parallax?

Na computação gráfica, o efeito Parallax costuma ser simulado com a técnica de mover imagens de fundo em uma velocidade mais lenta do que as imagens de primeiro plano, criando no nosso cérebro a ilusão de profundidade em planos 2D.
Na web é usado na maioria das vezes em sites de uma única página, que envolve o fundo se movendo em um ritmo mais lento em primeiro plano, criando um efeito 3D quando você rolar a página. Ou seja, o parallax é uma técnica que causa uma ilusão de profundidade nas interfaces.
Mas é importante saber usar com cautela, muitas vezes o efeito pode ficar exagerado e forçado. Mas quando usado com moderação pode proporcionar um bom e sutil elemento de profundidade.
Separei alguns bons exemplos de websites que sabem usar esse efeito. Inspire-se!

O que é Efeito Parallax?O que é Efeito Parallax?O que é Efeito Parallax?O que é Efeito Parallax?
Fonte: http://www.des1gnon.com/

50 marcas que mudaram em 2014 e você não viu

Em 2014, muitas empresas do seu cotidiano mudaram seus logos, refizeram sua identidade visual, gastaram milhares de dolares em reposicionamento de marca.
E a maioria você nem percebeu!



















































Fonte: http://www.assuntoscriativos.com.br/

← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial