segunda-feira, 30 de março de 2015

15 tendências de marketing online para ficar de olho em 2015


Marketing online já não é mais algo opcional para as empresas que pretendem avançar em seu negócio. O marketing digital muitas vezes parece um alvo em movimento, impossível de se atingir, e ainda assim, apesar da sensação de se estar sempre arriscando, existem algumas tendências claras que irão definir a indústria em 2015. Seja você um profissional experiente ou um novato no mundo digital, estas 15 tendências devem estar no seu radar ao longo deste ano.
1. Mais conteúdo gerado por usuários
Se 2014 foi o ano em que a ideia de que “conteúdo é Rei” tornou-se realidade, 2015 é o ano em que se irá buscar no conteúdo em meio ao reinado. O peso de se produzir conteúdo de alta qualidade (e caro) sempre estará nos editores, mas seguidores de marcas estão dispostos a, e esperam, contribuir para o diálogo. Seja colaborando com um pequeno número de embaixadores de marca para criar posts significativos no blog corporativo, ou promovendo um hashtag que permite ao público geral compartilhar conteúdo em seu site, aproveite a chance de usar esse tipo de oportunidade de interação logo, e frequentemente.
2. A morte do alcance de mídia social gratuito
Ao longo dos últimos 12 meses, rumores de marcas encolhendo nas mídias sociais agitaram os profissionais de marketing. Enquanto algumas empresas parecem não terem sido atingidas, mantendo seu alcance orgânico, outras se viram forçadas a aumentar seus investimentos em publicidade nas mídias sociais. Seja o que for que aconteceu – ou não aconteceu – em 2014, o Facebook confirmou que irá reduzir o alcance de posts muito “promocionais” de marcas em seu newsfeed.
3. Avanços em publicidade social
Social media advertising illustration de MPFphotography
Com o alcance orgânico nas mídias sociais em perigo, as marcas vêm aumentando seus esforços em publicidade nas mídias sociais, de forma a manter sua presença. Para a sorte dos publicitários, as plataformas de mídia social também estão melhorando suas ofertas. Em 2013, o Facebook tomou para si um pouco do trabalho de se criar peças publicitárias ao fazer uma parceria com a Shutterstock, pela qual marcas podem acessar milhões de imagens gratuitas e usá-las em sua publicidade. Ao longo do próximo ano, o Facebook continuará inovando sua plataforma de publicidade com uma forte ênfase no autoplay de comerciais em vídeo.
O Twitter também está lançando novas funções que permitirão aos publicitários a moldar sua publicidade de acordo com dados de um aplicativo de mobile. Novos players no mercado de publicidade em mídias sociais, como Instagram e Snapchat, irão ganhar bastante espaço em 2015 à medida em que eles abrem acesso à seu público em rápido crescimento.
4. Tudo ou nada para a publicidade nativa
Poucas tendências de marketing geraram tanto debate e controversia em 2014 quanto a publicidade nativa. Seguindo o barulho do ano passado, em 2015 a publicidade nativa – conhecida também como o publi-editorial – irá encarar o seu momento decisivo e ou atingir o êxito, ou se fadar ao fracasso. Ao mesmo tempo em que os benefícios e o potencial da publicidade nativa sejam claros para os profissionais de marketing, ela também pode enfrentar desafios grandes. Órgãos reguladores poderiam cercear esse tipo de publicidade na medida em que se conclui a possibilidade de os consumidores serem confundidos e não perceberem a distinção entre material editorial e publicitário. Nos Estados Unidos, o Federal Trade Comission mostrou-se preocupado com esse ponto, e tudo indica que a indústria deve buscar algum tipo de auto-regulamentação, antes que o FTC interfira e imponha regras ao formato.
5. Otimização de mobile
2014 foi o primeiro ano em que o tráfego de mobile superou o de desktops nos Estados Unidos, acabando com qualquer dúvida de que smartphones e tablets são o lugar preferido da maioria dos usuários para navegar. No mundo do marketing, esse fato também confirma a noção de produtos chamados “mobile-first”, ou seja, que são desenvolvidos e produzidos com a experiência de mobile ou de telas pequenas em foco. Porém, com lançamentos acontecendo na velocidade da luz, profissionais de marketing (e desenvolvedores também) terão a responsabilidade de investir em design responsivo que não tornará o website obsoleto assim que o próximo grande lançamento acontecer.
Young girl with tablet on the train de sergey causelove
6. Foco em marketing de conteúdo
O vice presidente para Agency Strategy do BuzzFeed, Jonathan Perelman, foi o primeiro a usar a frase “conteúdo é rei, mas distribuição é a rainha, e ela é quem manda.” Enquanto alguns profissionais de marketing ainda estão atrapalhados quando se trata de marketing de conteúdo, 2015 é o período de ouro para se focar esforços nessa área. Com tanto conteúdo de qualidade sendo gerado pelas grandes marcas, encontrar novos canais de distribuição de qualidade será o ponto chave para o sucesso. Mais notavelmente, marcas (sim, até as pequenas) terão que abraçar a distribuição paga de conteúdo para aumentar o alcance de seus canais próprios.
7. Automação inteligente de marketing
Até recentemente, automação de marketing era algo reservado para empresas grandes que podem bancar os altos fees de licença de softwares e têm um grande volume de tráfego. Com algumas inovações acontecendo rapidamente no mercado, novos fornecedores de automação de marketing estão oferecendo ferramentas similares a preços que não assustam empresas B2B menores. Ao longo deste ano, avanços em algoritmos de automação de marketing irão se tornar mais complexos, e as interfaces dos softwares mais intuitivos. No fim, isso significa melhor performance para um maior número de profissionais do marketing – grandes e pequenos.
8. Campanhas de mobile “in-store”
Um estudo de 2013 do Google Shopper Marketing Agency Council and M/A/R/C Research revelou que 84% dos donos de smartphones usam seus aparelhos enquanto eles estão comprando em uma loja física. Ao longo do ano passado, muitos varejistas, incluindo as americanas Macy’s e Urban Outfitters, lançaram iniciativas significativas voltadas aos usuários de dispositivos móveis em suas lojas. Com avanços na tecnologia de beacon, o potencial de se criar experiências na loja significativas está pronto para ser explorado. Em 2015, mais marcas começarão a abraçar a ideia de campanhas para mobile in-store, aproveitando a chance de se usar o celular como uma ferramenta de vendas ao invés de uma distração.
9. Micro-targeting
Tradicionalmente, profissionais do marketing recebem a responsabilidade de desenvolver programas que convertam clientes, e de entregar esses programas em escala para uma audiência de massa. Porém, com o crescimento do que é chamado de big data, 2015 vai ser o ano de se segmentar essa audiência de massa em componentes individuais, e de se falar com os consumidores usando mensagens que são ouvidas. Campanhas com micro-targets podem ser implementadas mais facilmente através de email e canais de distribuição de conteúdo pagos, onde o acesso é controlado. O desafio que os profissionais de marketing irão encontrar esse ano será encontrar meios de replicar esse diálogo íntimo e no target nos canais de mídia social e de conteúdo próprio.
10. SEO se torna ainda mais difícil
Flat vector illustration of web analytics de Max Griboedov
Já faz anos que SEO era considerado “fácil”, e o desafio de se ganhar e manter um bom posicionamento online irá continuar em 2015. Sites que não são otimizados para dispositivos móveis poderão encarar quedas em rankings em todos as suas versões, e a névoa dos protocolos de link-building ficará ainda mais espessa. Com o fim do pilotoAuthorship do Google +, sinais de mídias sociais como Facebook e Twitter irão provavelmente carregar ainda mais peso para os rankings. O movimento mais significativo em 2015 será a mudança de recursos destinados a SEO para esforços de marketing mais amplos, que misturam SEO à mídia social, marketing de conteúdo, e outros.
11. Aumento na produção de vídeos
Estudos e mais estudos vêm revelando que vídeos online são a chave para aumentar o reconhecimento de marca, a atenção do público, e até as vendas. 2015 será o ano em que as empresas, para além das grandes marcas, finalmente dedicarão recursos para integrar vídeo em suas estratégias de marketing. Mas ainda que as pequenas marcas estejam dando os seus primeiros passos em vídeos, as grandes marcas estarão avançando no uso dos vídeos, usando-os em sua automação de marketing, campanhas pagas, e promoções de mobile.
12. Dados analíticos que viram ação Actionable Analytics
O conceito de “Big Data” já existe há algum tempo, mas 2015 será talvez a primeira vez em que a maioria dos profissionais de marketing poderá de fato explorar o poder desses dados e colocá-los à uso. Alguns passos iniciais para a maioria das empresas incluirá criar campanhas pagas customizadas e de remarketing baseadas em dados dos usuários que eles capturaram e analisaram. Marcas mais sofisticadas começarão a combinar seus vastos dados online com dados offline pela primeira vez, apresentando um olhar de 360 graus ao comportamento de seus consumidores.
13. Ênfase em testes A/B
Com tantos dados disponíveis, é simplesmente ingênuo para qualquer profissional de marketing tomar uma decisão baseado em sua intuição. Os campeões do marketing em 2015 serão aqueles que apostam numa abordagem estruturada de testes A/B ou de variáveis diversas, e que não se cansam de buscar novas maneiras de ganhar mais tração de suas conquistas atuais. A disponibilidade de ferramentas de teste A/B está tornando mais fácil para empresas realizar esse trabalho com investimentos mínimos dos orçamentos de design ou desenvolvimento.
14. Tecnologia wearable
Wearable technology vector de JMicic
Um dos mercados mais em alta para se estar agora é o de tecnologia wearable: dispositivos conectados à Internet e que você usa em seus braços, pernas ou olhos. Esse espaço continuará a ver um crescimento explosivo em 2015, e os profissionais de marketing que estão prontos para tirar vantagem de oportunidades novas de promoção estarão se colocando em uma posição favorável para atingirem um alcance e impacto massivos.
15. Abraçando o topo do funil
Com tanto empenho colocado em se fechar vendas, negócios e contratos, é fácil para os comerciantes se esquecerem de que essas decisões são iniciadas em um ponto que aconteceu horas, semanas ou até meses antes. Enquanto avanços em testes A/B e campanhas de mobile in-store solidificam a base do funil das decisões de compra, e automação de marketing empurra usuários do meio do funil na fase de consideração, otimizar como esse diálogo de fato começa é crítico para os profissionais de marketing. Atrair novas audiências com a mensagem e conteúdo certos oferece mais combustível para uma máquina de marketing em bom funcionamento, para que ela produza um resultado de vendas ainda melhor para o seu negócio.
Fonte: http://www.shutterstock.com/
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário