Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Cores

Curiosidades sobre cores

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Designer x Arte finalista

Diferença entre Arte finalista e Designer

sábado, 12 de julho de 2014

Os valores dos logos


ENQUANTO A EMISSORA BRITÂNICA GASTOU US$ 1,8 MILHÃO PARA REDESENHAR SUA MARCA, OS FUNDADORES DO TWITTER COMPRARAM O DESENHO DO PASSARINHO AZUL POR US$ 6


É só bater o olho em uma maçãzinha mordida que a imagem remete à Apple, certo? Com o passarinho azul do Twitter, o “eme” amarelo do McDonald’s e o swoosh da Nike, funciona do mesmo jeito. São logos estimadas em bilhões de dólares que fazem com que os produtos dessas marcas sejam facilmente identificados e mais cobiçados por consumidores. O que é curioso é que, enquanto alguns deles custaram uma fortuna para serem criados, outros saíram por quase nada, segundo uma pesquisa feita pelo siteFinancesOnline.

A emissora britânica BBC, por exemplo, gastou US$ 1,8 milhão para refazer a marca dela em 1997. O logo criado por Eric Gill em 1932 foi substituído por três caixinhas, cada uma delas com uma das letras da sigla. Óbvio, o dinheiro não foi todo gasto com um único designer que sentou para desenhar. Foram meses de estudo sobre “branding”, como é chamado no marketing o processo de criação de uma marca, estratégia e design.
BBC (Foto: Getty Images)



A Pepsi também gastou alto, US$ 1 milhão, para refazer a bolinha vermelha, azul e branca em 2008. A companhia disse ter um documento de 27 páginas só sobre a estratégia usada no redesenho. Segundo a empresa, há referências a Leonardo Da Vinci, yin-yangs e fitas de Möbius. O público simplificou e acusou a marca de refrigerantes de ter copiado o logo da campanha de Barack Obama à presidência.
Pepsi (Foto: divulgação)



No outro extremo, está o Twitter. Os fundadores do microblog compraram a imagem do passarinho por US$ 6 no iStockphoto. Estima-se que agências profissionais cobrem US$ 5 mil para desenhar um logo nos Estados Unidos. A Nike, então, gastou apenas US$ 35. Phil Knight, fundador da fabricante de materiais esportivos, pediu a uma estudante de design em 1971 que desenhasse gráficos. Entre eles, saiu o swoosh que permanece intacto desde então.
Nike  (Foto: Getty Images)



Também há casos em que os próprios donos do negócio sentaram e desenharam a identidade de sua marca. Foi Frank M. Robinson, cofundador da Coca-Cola, que sugeriu que os dois “cês” estilizados da logotipagem iriam cair bem na publicidade. Hoje, a Forbes estima que o logo da empresa valha US$ 55 bilhões. No Google, foi Sergey Brin, cofundador, que criou o logotipo com um programa gratuito de gráficos chamado GIMP. Eles não gastaram milhões, mas certamente cumpriram a tarefa.

A compilação do FinancesOnline também se debruça sobre algumas das características e efeitos causados pelos logos e logotipos mais populares. As cores, por exemplo, são fundamentais para definir o tipo de mensagem transmitida:

- Vermelho: intesidade, paixão, amor, agressividade.
- Azul: claridade, conforto, calma, fé, profuncidade, céu e água.
- Amarelo: juventude, energia, frescor.
- Verde: natureza, relaxamento, esperança, harmonia.
- Roxo: glamour, nostalgia, luxo, romantismo.
- Laranja: entusiasmo, criatividade, estímulo.
- Preto: noite, formalidade, mistério, seriedade. 
- Rosa: mulher, doçura, sexualidade, delicadeza.
- Marrom: confiança, suporte, lealdade, segurança. 

Segundo uma pesquisa da Universidade de Amsterdã, crianças com idade entre 2 e 3 anos já possuem alto índice de acerto ao relacionar logos e produtos. Aos oito anos, o índice alcança os 100%. Com tamanho poder de comunicação, os logos mais populares obviamente valem bastante dinheiro. Confira quais são os dez mais valiosos do planeta (os números estão em dólares, e o último logo é o da Louis Vuitton):
Valor dos logos e logotipos (Foto: reprodução FinancesOnline)

Fonte: http://gq.globo.com/

20 ARTES URBANAS QUE INTERAGEM COM SEU ENTORNO


Constantemente publicamos em nosso Facebook e Google + (curta para acompanhar sempre) imagens de intervenções artísticas que interagem de maneira criativa como entorno onde estão localizadas. Seja com árvores, trepadeiras, corrimãos ou qualquer outro elemento natural ou urbano, a arte e a criatividade são sempre bem vindas por aqui.
Para deixar qualquer um mais inspirado, separamos 20 exemplos de artes urbanas cheias de criatividade e interação.

01 - Cara da cidade, Canadá por Dan Bergeron

02 - A Lenda dos Gigantes, Polônia por Natalia Rak

03 - O mundo está indo para a drenagem, Espanha por Pejac

04 - Calvin & Hobbes, França por Oak Oak

05 - Antenas Satélites, Reino Unido por Davyd Samuels

06 - Bruce Lee, França por Oak Oak

07 - Bandeiras do Reino Unido, Reino Unido por Banksy

08 - Menina dos pompons por Sandrine Boulet

09 - Homem Aranha, França por Oak Oak

10 - Menina, Malásia por Ernest Zacharevich

11 - Pássaro, Grécia por WD.street.art

12 - Calvin & Hobbes 2, França por Oak Oak

13 - O Semeador, Lituânia por Ivan Grohar (Foto por Morfai)

14 - Arbusto, Reino Unido por Bansky

15 - Sideshow Bob, França por Oak Oak

16 - Soma dos tempos por Aakash Nihalani

17 - Avestruz, Itália por Pao

18 - Bicicleta, Malásia por Ernest Zacharevich

19 - Cabelo, Martinica por Nuxuno Xän

20 - O canudo por Mental Gassi

Fonte: http://arquiteturasustentavel.org/

sexta-feira, 11 de julho de 2014

A Incrível Evolução da Bicicleta


Nas últimas décadas a bicicleta tem ganhado destaque nos meios de comunicação ao ser apontada como solução alternativa aos meios de transporte poluentes.
Apelidada carinhosamente de “magrela” pelos amantes deste veículo, a bicicleta foi criada pelo francês Comte Mede de Sivrac, em 1790. O que inicialmente era formada por duas rodas, um pedaço de madeira e uma sela de cavalo, a bike evoluiu para modelos extremamente sofisticados e de alta tecnologia existentes atualmente, como as versões de luxo em fibra de carbono da marca americana Finnpower.
Foi neste contexto que o estúdio dinamarquês Visual Artwork desenvolveu um vídeo de animação minimalista mostrando a evolução da bicicleta ao longo dos seus 200 anos. As ilustrações destacam as variações no seu design através do tempo e as inovações adicionadas pelos seus inventores. É possível perceber no vídeo como o processo criativo avançou de forma praticamente cíclica: começando com uma ideia original bastante simples, passando por modelos com diferentes graus de complexidade e chegando aos modelos contemporâneos novamente simplificados.
E você, o que acha de andar de bicicleta? não deixe de comentar abaixo.
Evolucao da Bicicleta 01 A Incrível Evolução da Bicicleta
Evolucao da Bicicleta 02 A Incrível Evolução da Bicicleta
Evolucao da Bicicleta 03 A Incrível Evolução da Bicicleta
Fonte: http://croove.com.br/

Como fazer o efeito panning no Photoshop


Já ensinei, em um post anterior, o que é e como fazer o Efeito Panning no ato de fotografar. Mas sabemos que nem sempre o efeito fica como desejamos, e por isso podemos aprimorá-lo direto no Photoshop. E com o programa podemos também simular uma série de efeitos. Eu, sinceramente, prefiro fazer o panning direto na fotografia. Isso porque a edição é sempre mais trabalhosa e o resultado não fica tão verdadeiro. Mas ainda assim vou ensinar para vocês como prometi. =D
Teoricamente é bem simples e básico. Selecione o fundo, vá no menu em Filter > Blur > Motion Blur. Olhando assim parece tranquilo, mas não se anime que não é.
1) Escolha sua foto e abra ela no Photoshop.


2) Duplique a camada (CTRL+J).


3) Vá no menu Filter > Blur > Motion Blur e ajuste o ângulo conforme o objeto, neste caso esta em 2. A distância você deve selecionar de acordo com a agressividade que deseja dar ao efeito. Se quer um efeito sutil use um valor baixo, e se quer um efeito agressivo, como estou fazendo, utilize um valor alto (neste caso usei 800).



4) Agora vamos no menu Layer > Layer Mask > Reveal All.


5) Selecione a ferramenta Brush Tool e deixe o Foreground color na cor preta, agora pinte apenas a imagem do carro. Caso você erre em alguma parte da imagem, basta deixar o Foreground no color branco e pintar novamente.


É isso pessoal. Espero que tenham gostando e qualquer dúvida podem enviar seus comentários!
Fonte: http://www.conexaofotografica.com.br/

A evolução dos meios de comunicação


Para chegarmos até os meios de comunicação mais modernos que temos hoje, ela teve que passar por uma longa historia de evolução, foi um caminho longo e trilhado por séculos em que cada um há seu tempo teve soluções para uma mesma intenção: a de comunicar.

Criada por Cyril Calgaro & Arnaud Laffond, a animação “Since...” mostra exatamente isso, de uma forma bem simples e criativa a evolução dos meios de comunicação, desde os sinais de fumaça até os modernos equipamentos de hoje. Vale a pena assistir ;)


Fonte: http://www.devoltaaoretro.com.br/

quinta-feira, 10 de julho de 2014

VEÍCULOS DA CULTURA POP EM VERSÃO TRANSFORMER

Alguns veículos de filmes e séries de TV se tornaram icônicos, ocupando espaço de igual para igual com os protagonistas e marcando gerações de fãs.
Um destes fãs é o artista Darren Rawlings, que imaginou vários veículos famosos em versões Transformers. É isso mesmo, a famosa franquia de filmes, desenhos e bonecos da Hasbro, onde carros, caminhões e tudo mais que anda sobre rodas se transformam em robôs gigantes.
Do DeLorean de De Volta para o Futuro passando pelo Ecto 1 dos Caça-Fantasmas, o traço de Darren traz uma nostalgia gigantesca para os fãs velhacos da década de 1980 como eu.
Para mais trabalhos do artista, acesse aqui.









Fonte: http://postcriativo.com/

MAPA INTERATIVO DAS REGIÕES DE GAME OF THRONES

Game of Thrones ganhou um mapa não oficial que mostra suas regiões de forma parecida com o Google Maps.
Chamado de Quarter Master, a navegação no mapa é feita através de um menu no lado direto da tela.
Caso você segue apenas o seriado e ainda não viu tudo o que rolou, o mapa possui um filtro de spoiler, onde o conteúdo é revelado conforme você escolhe.
Como o próprio autor dos livros não deixou claro certas localizações das casas de Westeros, algumas ganharam certa liberdade criativa sobre sua exatidão.
Você também pode escolher um personagem específico para acompanhar sua movimentação durante a série, por isso a importância do filtro de spoiler.
Para acessar o mapa, clique aqui (http://quartermaester.info/).

Fonte: http://postcriativo.com/

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Fotografia em RAW


AFINAL, O QUE É O FORMATO RAW?

RAW é um formato de arquivo que contém todos os dados da imagem captada pelo sensor da câmera. Diferente do famoso JPG, ele é um formato original e cru, como um filme negativo. Com isso, você tem uma melhor definição e maior número de tons para posteriormente, se necessário, edita-los. Já o JPG faz uma compressão para deixar seu arquivo menor, reduzindo a qualidade final do seu arquivo. No mundo digital existem inúmeros tipos de arquivos e certamente você está familiarizado com o JPG. Mas se você parar e prestar atenção, até alguns smartphones te dão a possibilidade de mudar o formato da fotografia para RAW, o que deixou de ser algo totalmente desconhecido e vem sendo popularizado não só no mundo de fotógrafos profissionais. Vale dizer também que o RAW não é o formato de arquivo. Cada fabricante tem sua própria extensão. Por exemplo a Canon utiliza .crw ou .cr2, já a Nikon usa .nef ou .nrw.

DEVO USAR RAW OU JPG?

Se a decisão está difícil eu sugiro que você escolha fotografar na opção RAW + JPG. Assim você terá os dois arquivos simultaneamente e poderá usar o JPG se for uma coisa rápida ou usar o RAW quando for algo mais profissional.
Fonte: http://www.conexaofotografica.com.br/

COMO TORNAR O CÓDIGO DE BARRAS MAIS DIVERTIDO E INTEGRADO À EMBALAGEM?



O Código de Barras é algo que está presente na grande maioria das embalagens de produtos. No entanto, vale uma boa pitada de criatividade para torná-las integradas e mais divertidas, fugindo do padrão quadrado tradicional.

Aqui vão algumas dicas do ilustrador Steve Simpson (veja também: Rabiscos e Ilustrações de Impressos por Steve Simpson), especialista em design de embalagens e livros infantis:

•  Cores*: podem ser diferentes, mas requerem bom contraste para reconhecimento do scanner.
•  A linha numerada serve apenas para ajudar, nós humanos, a lermos e interpretarmos o código de barras pela sua sequência numérica. Portanto: troque a fonte à vontade!
•  É necessário deixar espaços antes e depois do código para que o scanner possa reconhecer seu começo e fim.
•  Para melhor leitura, coloque uma linha na base do código
•  Teste! Imprima e confira se um aplicativo que leia código de barras consegue realizar a leitura.

* Guia para utilização de cores em Código de Barras aqui.
Confira alguns exemplos e inspire-se! :)









































Espero que tenha gostado do post! Ahh, para ficar ligadão em tudo que acontece por aqui, não esqueça de assinar nosso Feed-RSS para receber as últimas postagens diretamente no seu e-mail, ou então, curta e siga o Desafio Criativo no Facebook e no Twitter. Não esqueça de deixar um comentário dizendo o que achou deste artigo e aproveita pra compartilhar com seus amigos. Eles vão gostar também! ;)

Fonte: http://www.dcriativo.com/
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial