Start up! Artes Gráficas

Trabalhos feitos por profissionais com + de 10 anos de experiência em artes gráficas!

Principais sites de Notícia do Brasil

Rio Grande do Sul e Vale do Taquari (Lajeado e região)

Canva

O software online que veio para ficar!

Cores

Curiosidades sobre cores

Design Freelancer

Quais as etapas da venda de um projeto

Monitores

Qual o melhor monitor para designer gráfico?

E quando não existia Photoshop?

Veja como eram editadas as fotos

Designer x Arte finalista

Diferença entre Arte finalista e Designer

sexta-feira, 4 de julho de 2014

The Cloud de Richard Clarkson - Luminária Nuvem


Para os apreciadores deste fenômeno natural, a linda criação The Cloud foi desenvolvida pelo estúdio de design e laboratório de arte Nova-Iorquino-Neozelandês Richard Clarkson. Trata-se de uma luminária interativa com sistema de alto-falantes, projetada para imitar uma nuvem cumulus e ainda reproduzir música através de qualquer dispositivo compatível com Bluetooth, além de, claro, os sons da chuva e das trovoadas. Ela também tem sensores de movimentos que promovem a interação com quem está no ambiente. Tem como não gostar?
Os cumulus são nuvens densas que se formam em ar instável e sobretudo na baixa troposfera e que surgem em blocos ou glóbulos isolados ou agrupados. Quando crescem verticalmente em pilha («cumulus», em latim) até grandes altitudes assinalam trovoadas e tempestades. -  Wikipedia
Curioso? Confira como funciona no vídeo e nas fotos abaixo:







Fonte: http://www.ideiaquente.com/

A simplicidade artística de Javier Pérez

Nascido no Equador, o diretor de arte e ilustrador Javier Pérez vem apresentando uma série divertida de ilustrações em sua conta no instagram que combinam objetos do cotidiano, como clipes de papel, uvas, unhas e anéis para criar obras de arte deliciosas de ver. Inspire-se!












Fonte: http://irresistiveis.com.br/


Evolução – Diacronia

Que tal conhecer o que envolve as modificações dos produtos através dos anos ? A essas alterações se dá o nome de diacronia.
O significado de diacronia em termos gerais seria a descrição de uma língua ao longo de sua história, com as mudanças que sofreu. Estuda as relações entre termos que se substituem, por sucessão, ao longo do tempo. Segundo Saussure “O começo e o fim  de uma época são geralmente marcados por alguma revolução mais ou menos brusca que tende a modificar o estado de coisas estabelecido”. Essas mudanças também acontecem no nosso meio onde vemos as transformações no decorrer dos anos. Traduzindo para uma linguagem mais familiar diacronia se resume a todo o histórico do produto, a sua evolução.
Trazendo para a história da Publicidade, no processo de desenvolvimento de embalagens a partir do século XIX até os dias de hoje foram realizadas substituições de elementos por outros, de maneira lenta e gradual, a relação diacrônica está ligada ao processo de evolução da tecnologia, onde ocorre o aperfeiçoamento dos tipos de embalagens conforme as necessidades dos consumidores. Outro fator importante é design gráfico, que, se bem elaborado, pode vir a ser reconhecido mundialmente, inserindo a marca na mente do consumidor, conquistando preferências. 
Vamos a dois exemplos de mudanças temporais em embalagens:
  •  Coca-Cola
A garrafa passou por uma série de modificações partindo do vidro ao plástico, ficou mais moderna, com um novo design, com uma sinuosidade que pode até ser associada aos valores da marca. O produto passa assim a ganhar com estas modificações, passando a estar atual para o mercado, mercado consumidor cada vez mais exigente que procura qualidade e diferença no ato de compra.

300_10752
Primeira garrafa – 1899
images
Garrafa atual
Frank Robinson (Contador de Pemberton-Criador da Fórmula) utilizou a sua própria caligrafia para fazer o logotipo
cokebottlesjpg-6a25b7ee2b37e998
Evolução da Embalagem

  •  Leite Moça
A embalagem passou por alterações e hoje possui cara nova. Em 1921, era chamada de Milkmaid, tinha rótulo de papel e informações em inglês. Houve mudanças na cor, grafia, centralização, ampliação do nome e da figura e ganhou versão desnatada. Em 2001, ganhou a diferenciação “tradicional”.
A camponesa, com contornos mais femininos, exibe sorriso, tom de pele e cabelo.  Antes víamos a figura de uma moça comportada, hoje, ela ganhou traços mais definidos e sensualidade. O slogan “Fazendo maravilhas desde 1921”, em dourado, passou a ilustrar os rótulos, ressaltando que o produto é fabricado no Brasil há 82 anos. Para aumentar a identidade entre marca e consumidor, foi desenvolvido novo design de embalagem.
6a00d8341c385353ef00e54f7412a28834-640wi
Primeira lata – 1921
A lata, sempre em aço, ficou mais moderna, com uma sinuosidade que se associa aos valores da marca: confiança, qualidade, tradição e intimidade com o consumidor.
download (1)
Lata atual – A última modificação significativa é de 2004
leite-moça-enio-leite
Evolução da Embalagem

As modificações sofridas pelas embalagens nos dois casos veio se adequar a época e torna-lá diferenciada em relação aos demais concorrentes. A nós cabe criar as embalagens e identidades visuais visando todas as modificações temporais que os anos seguintes possam trazer.
Fonte: http://www.designculture.com.br/

5 sintomas de que você pensa como um designer


Nem todo mundo que virou designer sabia desenhar quando era pequeno. O Design envolve mais do que um lápis na mão e um computador na mesa. Começa no pensamento, no jeito que você encara a vida.
Essas pistas não são fazem parte de uma bula médica, nem precisam levar você a achar que está na carreira errada. São características que particularmente observei com o passar dos anos, sem compromisso. Mas podem ajudar a quebrar um tabu de que designer são pessoas estranhas. Você pode encarar a vida como um e nem sabia disso, olha só.
Vamos lá:

1) Analítico

Você é daqueles caras que em vez de reclamarem que o controle remoto é confuso, fica pensando em como ficaria mais fácil se alguns botões fossem diferentes? Quem sabe se eles fossem mais coloridos, ou se o controle simplesmente tivesse menos funções? Hum… Pode ser uma pista.
A ergonomia e a usabilidade estão ligadas diretamente ao Design, e pensar em soluções para problemas comuns é um dos papeis (se não for o principal), do profissional da área.
Design of everyday things
Donald Norman e sua clássica chaleira impossível, do livro “Design of Everyday Things”.

2) Criativo

Ao contrário do que muita gente pensa, todos nós somos criativos. Uns têm mais talento para criar piadas de improviso durante as festas de família, enquanto outros criam personagens com palitinhos na mesa do restaurante. Mas você certamente tem muita coisa interessante nessa massa cerebral.
5 sintomas de que você pensa como um designer
Provavelmente, alguns indivíduos tiveram mais estímulo à criatividade durante a fase escolar, mais atividades lúdicas e colaborativas. Existe um vídeo MUITO interessante sobre a criatividade feito pelaRSA, e aconselho separar 11 minutinhos para dar uma olhada nele. Tem legendas em português.
Existem muitas maneiras de estimular o seu lado criativo, e a prática com o Design faz brilhar progressivamente aquela lâmpada que fica em cima da sua cabeça. Referências, leitura e convivência com gente “de ideias” também ajudam e muito. Se você é criativo (e certamente é), independente do nível que você considere que a sua lâmpada esteja acesa no momento, pode ser um segundo indício.

3) Adaptável

Um designer precisa resolver como uma mensagem será comunicada visualmente a um certo público. Um dia ele pode receber o briefing para criar um logotipo para um restaurante chinês. No outro, uma série de embalagens de papinhas de neném. Ou seja, o cara que vai pensar nisso deve conseguir se transportar de um cenário para outro com facilidade, e se colocar no lugar de quem vai ver o resultado final. Se você só gosta de tipos serifados, e não tem a mente aberta para pesquisar tipografia chinesa, por exemplo, talvez essa não seja a sua área.
Mas, se você acha que encarar “personalidades” diferentes é um desafio interessante, fica a dica. Só para colocar uma pulga atrás da sua orelha, pode ser algo muito legal pra quem gostava de jogar RPG….
5 dicas de que você pensa como um designer
Tirinha por Rafael Koff.

4) Observador

Ok, este tópico pode parecer um pouco com o primeiro. Só que não.
O observador nem sempre é o fulano que pensa em soluções pra tudo, mas é aquele que gosta de perceber mudanças e detalhes. Aquele amigo que repara até mesmo nas coincidências musicais. Que notou que o celular que a mocinha da novela mudou instantaneamente de uma cena pra outra sem o menor sentido. Que o Eike Batista só tem filhos com nomes com 4 letras e coias por aí… Esse neurótico pode ser um aspirante à carreira.
Tirinha por Will Leite - via

5) Empolgado

Olha, eu nunca vi um designer “designmado”. Sei que a piada foi horrível, mas não resisti. :p
Refazendo a frase, nunca vi um designer que não fizesse o que faz por paixão. Lógico que reclama pra caramba, acha que o cliente poderia ter mais verba, reclama do briefing, etc etc (não justifico aqui nenhum sistema exploratório de trabalho nem uma rotina workaholic – veja um post sobre isso).
Mas ainda não vi um designer que dissesse que seguiu a área  por pressão, ou porque a família era dona de um escritório e precisava de alguém pra manter a tradição. Nunca ouvi ninguém falando: “mamãe sempre sonhou que eu fosse um profissional de comunicação visual”. Bom, isso pode te animar um pouco. Sem trocadilhos.
Imagem via (créditos  Mayumi I. Amaral)
Se você sente que rola uma simpatia entre os seus olhos e o seu coração, pode ser a pista mais preciosa deste post.
Fonte: http://www.cutedrop.com.br/

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Os 12 princípios da animação explicados com um simples cubo


As regras básicas para uma boa animação, segundo alguns gurus da Disney, em um belo vídeo curto e direto pra você. E também em gifs!
O motion designer italiano Cento Lodigiani resolveu dar vida aos 12 princípios elementares da animação, criados pelo estúdio Walt Disney.
Tais “leis” foram desenvolvidas por antigos animadores do grande estúdio, entre eles Frank Thomas e Ollie Jonhston, durante os anos 30. Estes caras, na época jovens e vanguardistas, estavam contruibuindo com o desenvolvimento da animação como uma nova forma de arte.
O vídeo “The illusion of life“, criado por Lodigiani, conta, de forma bem objetiva, um pouco de cada um dos princípios, aplicados a uma forma simples: um cubo.
O projeto também acontece em um Tumblr chamado “The 12 principles“, com gifs animados.
Está em inglês, mas você pode conferir logo abaixo um resumão traduzido. Voilá:
Os 12 princípios da animação resumidos:

1) Comprimir e esticar (Squash & Stretch)

Dá a ilusão de peso e volume aos personagens enquanto se movem.
tumblr_n4rq4wXp241tx30c0o1_1280

2) Encenação (Staging)

A apresentação da ideia principal  na cena deve ser clara e objetiva.
tumblr_n4rq3xrhYu1tx30c0o1_1280

3) Antecipação (Anticipation)

Prepara o público para a ação que vai acontecer em seguida.
anticipation

4) Animação direta e posição-chave (Straight ahead & Pose to Pose)

Straight ahead significa desenhar um quadro a quadro cena do começo ao fim, enquanto pose to pose envolve iniciar com o desenho de alguns quadros-chave e, em seguida, preencher os intervalos entre eles.
pose

5) Continuidade e sobreposição da ação  (Follow through & Overlapping)

Follow trough é fazer com que partes do corpo do personagem continuem em movimento mesmo quando sua ação é interrompida. Isso para dar mais realidade ao desenho e dar a impressão de que segue as leis da física. Overlapping significa que as partes do corpo de um personagem devem se mover em velocidades diferentes.
overlapping

6) Aceleração e desaceleração (Slow in & Slow out)

Os corpos precisam de aceleração e desaceleração. Para simular isso em animação, você precisa de mais quadros desenhados no começo e no fim da ação e menos no meio.
Quanto mais quadros desenhados entre o fim e o começo fazem da velocidade mais reduzida nestes momentos. Menos quadros desenhados, mais rápido o movimento.
slow

7) Movimento em arco (Arcs)

No mundo real, os movimentos dos objetos tendem a seguir uma trajetória de arco. No desenho, o mesmo princípio é aplicado para dar maior realismo.
archs

8) Ação Secundária (Secondary actions)

Adicionar ações secundárias à ação principal pode dar mais naturalidade à cena, e apoiar a ação principal. Lembrando que ela sempre acontecer para reforçar a ação que deve ser a estrela da cena, e não para distrair o espectador.
secondary

9) Sincronismo / temporização (Timing)

Refere-se ao número de desenhos ou quadros para uma determinada ação, o que se transforma em velocidade no filme. O timing correto faz com que objetos pareçam obedecer às leis da física.
timing

10) Exagero (Exageration)

A imitação fiel da realidade pode parecer meio dura nos desenhos. Por isso o exagero serve não para distorcer a realidade, mas para dar a ela um reforço, de uma forma mais extrema.
exageration

11) Desenho volumétrico (Solid Drawing)

Significa levar em conta as formas no espaço tridimensional na hora de desenhar um objeto ou personagem, dando a eles volume e peso.
solid

12) Apelo (Appeal)

O apelo é quase a mesma coisa que o carisma em um ator. O espectador deve sentir que o personagem seja real e interessante, mesmo que ele precise ser “feio” ou “mau”, como um vilão.
appeal
O livro “The Illusion of life”, escrito por Ollie Johnstons e Frank Thomas existe à venda na internet, para quem procura infos mais completas e exemplos ilustrados.
Para quem quer alguns exemplos rápidos sobre os 12 princípios, este pdf aqui também pode ser útil como fonte de inspiração.

Fonte: http://www.cutedrop.com.br/

10 serviços gratuitos para armazenar e compartilhar arquivos online


Precisa compartilhar um arquivo pesado? Quer guardar seus docs na nuvem? Vai uma listinha de serviços gratuitos para facilitar sua vida.
Quem é designer sabe o que é sofrer com envio de arquivos pesados. Imagem, psds, pdfs para impressão. Socorro!
Mas, graças ao “advento da internet” (adoro essa expressão #soquenao), hoje ninguém precisa mais mandar pastas zipadas por email. Centenas de sites e serviços online permitem o upload e compartilhamento de arquivos. Isso sem falar da “nuvem”, que como um HD virtual, tornam nossos arquivos acessíveis/ editáveis de qualquer lugar.
Diante de tantas opções e serviços, o Cutedrop fez uma seleção de alguns sites que, além de oferecem um serviço legal, possuem uma interface atrativa.
Alguns deles só armazenam temporariamente os arquivos, que expiram após alguns dias. Outros sites são serviços que funcionam como um HD virtual.
Vamos lá:

We transfer

Serve só para compartilhamento. Suporta 2GB por upload. Não precisa de login. Mas requer  email de “remetente” e “destinatário” na hora do upload.
wetrasnfer

Speedy Share

O mais minimalista de todos. Não precisa de registro ou login.
speedy

Gett

Suporta 2GB. Interface limpa e fácil de usar. Com app para iPhone.
Uma vez com sua conta registrada, você tem acesso aos seus arquivos no painel de controle.
gett

Jumpshare

Suporta 2GB. Você cria sua conta e tem acesso aos arquivos. Você também pode baixar o app para desktop.
jumpshare
jumshare2

Filesnack

Suporta até 2,5 Gb em conta gratuita.
finlesnack

Yandex Disk

Este tem capacidade de até 10GB sem tarifas! É um serviço russo, mas o site é em inglês. Uma vez logado, você tem acesso aos arquivos.
(Foi baixando esta fonte gratuita que achei este site).
yandex2

Dropbox

Com uma interface agradável, suporta até 2GB, com registro grátis. Com o app para desktop, você pode gerenciar as suas pastas diretamente do seu computador, smartphone ou tablet.
Um dos serviços mais populares de armazenamento online da nossa lista.
dropbox

Box

Armazenamento online, sincronização mobile e uma boa popularidade. Na conta grátis, o usuário tem 10 Gb disponíveis para usar.
_box
E, sem esquecer dos clássicos discos na nuvem oferecidos pelo Google e pela Microsoft. Com eles, além de compartilhar arquivos, você pode gerar documentos como planilhas, apresentações, formulários etc. E, logicamente, compartilhar com quem você quiser.

Microsoft OneDrive 

São 7Gb de armazenamento, mais integração com os programas Office. Para acessar, basta ter um email da Microsoft.
onedrive

Google Drive

Se você tem uma conta do Gmail, é indiscutivelmente o serviço mais completo da lista. Permite edição de arquivos simultânea por mais de uma pessoa, edição de arquivos e geração de código para embedar formulários e documentos. Ah sim, e são 15Gb disponíveis.
googledrive
Qual o seu serviço preferido para cada finalidade? Conhece mais? Comenta aí!

Fonte: http://www.cutedrop.com.br/
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial