terça-feira, 4 de novembro de 2014

Como trabalhar com equipes em fusos horários diferentes

Em um projeto que nunca dorme, feio é você dormir no ponto
E aí, um belo dia, você contrata ou é contratado por alguém de outro país. Mais do que isso: por alguém que está em um fuso horário totalmente diferente do seu. Longe de ser um problema, a situação pode ajudar você a aprender a trabalhar em equipes de produção contínua, com mais horas produtivas. Outra vantagem bem bacana é entrar em contato com outra cultura e jeito de fazer as coisas, o que é sempre bom.
Mas, como nossos leitores querem mesmo é dica, aí vão algumas ideias para você se encaixar neste tipo de equipe e fazer bonito. Vale lembrar que as dicas também funcionam para gestores de times dispersos geograficamente e, claro, clientes contratantes.


Dica 1: troque comunicação excessiva por ferramentas
Como o tempo é uma das principais variáveis em projetos com pessoas em fusos horários diferentes, a constante comunicação – tão típica do povo brasileiro – , deve ser colocada de lado e ferramentas de controle de tarefas devem assumir a posição principal. Temos várias no mercado, algumas já testadas aquiBasecamp, Treello ou Todoist, escolha a sua e vá a luta!
Dica 2: aproveite as duas zonas de horário
Na prática, este tipo de time tem dois grandes grupos de horas de trabalho. Ou seja, uma manhã que começa muito cedo e um final do dia que se estende até altas horas. Então, distribua tarefas de forma a um “slot” de tempo complementar o outro. Um exemplo: sabe aquela tarefa da turma que vai até mais tarde? Que tal se ela for o pré-requisito da que vai começar no outro dia mais cedo? Captou?
Dica 3: aproveite a distância para praticar a “delegação de tarefas”
Essa vai para quem é líder de projeto ou até mesmo cliente. É difícil resistir a dar aquela voltinha pela mesa dos seus profissionais (sejam eles freelancers, sócios ou empregados) quando eles estão logo ali ao lado, né? Eis uma vantagem de equipes que tem um oceano entre elas: você vai ter que aprender a delegar. Confie mais e supervisione menos!
Dica 4: capriche no lado multimídia da comunicação
E quando aquele alinhamento de informações for inevitável, procure priorizar ferramentas como Skype, Facetime, Hangouts e semelhantes. Mandar tudo por e-mail quer dizer, na prática, que o entendimento nunca será 100% e que levará mais um dia para você receber a resposta de volta. Falar (quase) cara a cara com o seu time, em momento chave, é fundamental.

Agora vocês complementam!

É claro que devem existir boas práticas suficientes para encher uma homepage inteira. Mas, que tal utilizar os comentários logo abaixo para dar o seu pitaco? Temos muitos leitores em Portugal, EUA e Alemanha: falem daí , pessoal!
Fonte: http://carreirasolo.org/
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário