terça-feira, 12 de agosto de 2014

Porque você deveria rabiscar mais

Estudos recentes defendem os efeitos benefícios do hábito de rabiscar os chamados doodles.


Rabiscar, um ação vista como desperdício de tempo, tédio ou falta de atenção, está recebendo um novo conceito.
The Wall Street Journal, uma das publicações mais respeitáveis do mundo, divulgou um estudo em que pesquisas recentes em neurociência, psicologia e design demonstram que “rabiscar pode ajudar as pessoas a manter o foco, entender novos conceitos e reter informações”. Os doodles ainda podem melhorar os pensamentos criativos.
Você já deve ter ouvido falar nos chamados doodles, que são rabiscos espontâneos que podem tomar diversas formas, desde padrões abstratos até imagens de objetos, rostos ou paisagens. Segundo Sunni Brown, autora do livro “The Doodle Revolution” (“A Revolução Doodle, em tradução livre), os doodles são uma ferramenta de pensamento que podem afetar a forma como processamos informações e resolvemos problemas.
De acordo com o The Wall Street Journal (em tradução livre):
Alguns pesquisadores suspeitam rabiscar pode ajudar o cérebro a permanecer ativo, envolvendo suas “redes padrões” – regiões que mantêm uma linha de base da atividade no córtex cerebral quando estímulos externos estão ausentes. Pessoas que foram incentivados a rabiscar enquanto ouvem a leitura de uma lista de nomes de pessoas foram capazes de lembrar 29% a mais de informação sobre um teste surpresa mais tarde, de acordo com um estudo de 2009 em Applied Cognitive Psychology.
O caso de  Michiko Maruyama, uma estudante de medicina do Canadá é curioso. Ela frequenta a University of British Columbia, em Vancouver, e durante as aulas expositivas escreve palavras-chave e desenha imagens de secreções gástricas, hérnias e outros temas de estudo. Segundo ela isso a ajuda a preencher lacunas em seu conhecimento e quando a estudante deu uma pausa de uma semana nos rabiscos, viu suas notas despencarem. 
Um doodle pode também expressar emoções muito complexas com mais facilidade que as palavras. Segundo Nadir Weibel, professor assistente de pesquisa em ciência da computação da Universidade da Califórnia em San Diego, a oportunidade de rabiscar “mudou a forma que as pessoas expressam seus sentimentos”.
Entretanto, existem alguns estudos que em contrapartida afirmam os malefícios dos rabiscos. Umapesquisa de 2012 descobriu que rabiscar tem um efeito negativo sobre algumas tarefas, especialmente visuais, como tentar lembrar de um determinado conjunto de imagens.
Se há mais benefícios ou malefícios, o fato comprovado é que a maioria absoluta dos profissionais que trabalham com imagens possui o hábito de rabiscar e este é um exercício para os cérebros criativos, além de ser uma ferramenta útil no processo de criação.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário