quarta-feira, 30 de julho de 2014

MESA DIGITALIZADORA: O QUE É, QUAL E COMO ESCOLHER?


Um dos equipamentos mais amigos do designer é a sua mesa gráfica. Com ela você expressa mais facilmente o seu lado artístico transmitindo as suas ideias de um jeito muito mais fácil para a tela do computador. Mas nem todo mundo, principalmente quem está chegando agora, sabe o que é uma mesa gráfica, os que sabem não entendem muito bem para que ela serve, os que entendem não conseguem se decidir qual é melhor de acordo com os seus objetivos de trabalho.
Neste post vamos conhecer este equipamento essencial e que facilita muito o nosso trabalho, sem contar que é excelente para evitar os problemas com LER (Lesão por Esforço Repetitivo) causados pelo uso excessivo do mouse. Seja você um ilustrador, designer gráfico ou de qualquer área criativa, uma mesa gráfica pode ser o instrumento que faltava para você melhorar ainda mais o seu fluxo de trabalho.

O que é uma mesa gráfica? (Mesa digitalizadora)

Mesa digitalizadora ©Shutterstock
Mesa digitalizadora ©Shutterstock
Mesa gráfica, tablet gráfico ou mesa digitalizadora é um equipamento plano, uma espécie de prancheta que é usada com o auxílio de uma caneta (Stylus) através da qual é possível desenhar utilizando um computador. O desenho não é mostrado diretamente no tablet, ele funciona como uma extensão para um software gráfico, como o Photoshop ou Illustrator. Você desenha sobre a mesa gráfica e o desenho é projetado na tela do computador.
Existem vários tipos de mesas digitalizadoras, não se limitando aos modelos que usam canetas, há também os que possuem suporte ao toque das mãos e dedos e os que funcionam com uma tela de pintura interativa, possuindo um monitor integrado sobre o qual você desenha.

Como funciona uma mesa gráfica?

Os modelos mais comuns no mercado são pequenos e leves, embora existam de muitos tamanhos e com uma variedade incrível de recursos. O seu funcionamento ocorre de um jeito muito simples. Você aproxima o Stylus (caneta) da mesa gráfica, não sendo necessário tocar com a caneta sobre a superfície, em gesto idêntico ao que você faz quando vai escrever em um caderno. A caneta emite um sinal para mesa gráfica indicando a sua posição sobre a área útil de desenho da mesa. Mover a caneta sobre a mesa sem tocá-la faz com que o seu mouse se movimente na tela. Você só toca a mesa com a ponta da caneta quando precisa executar algum comando, como por exemplo pintar com um pincel ou selecionar um objeto ou uma ferramenta.
A área de desenho da mesa é uma representação da sua tela. Assim, basta posicionar a caneta sobre uma área na mesa e o mouse se deslocará imediatamente para a posição correspondente na sua tela. Você não precisa, por exemplo, fazer aquele movimento de levantar e arrastar o mouse para deslocar o cursor para áreas mais distantes da tela.
Os toques sobre a mesa funcionam como o clique do mouse, assim, na maioria dos casos, um toque representa um clique, dois toques dois cliques e assim por diante. Não vou entrar em maiores detalhes pois cada equipamento também pode apresentar opções diferentes para cada recurso. O mais comum, por exemplo, é quando você toca com a ponta da caneta sobre a mesa e aguarda por alguns segundos sem mexê-la, isto seria o equivalente a clicar com o botão direito do mouse. É quase como o tocar e segurar para exibir opções nos smastphones. Você pode fazer tudo o que faz com um mouse utilizando uma mesa gráfica, a vantagem é que com um Stylus você tem a precisão e a comodidade de desenhar como se estivesse com uma caneta em mãos.

Quem pode usar uma mesa gráfica?

Por causa da sua interface e dos recursos disponíveis com o uso do Stylus, como a sensibilidade à pressão (vamos conhecer mais abaixo), qualquer profissional criativo pode se beneficiar com o uso de uma mesa gráfica. Ao contrário do que pode-se pensar, não é apenas quem sabe desenhar ou quem vai desenhar que necessariamente poderá usar uma mesa gráfica. Seu uso é constante por fotógrafos, por exemplo, que editam suas fotografias com maior facilidade e praticidade. Projetistas que passam horas trabalhando em frente ao computador preferem tablets gráficos pois não cansam o braço, como o mouse, além de oferecer maior agilidade nos comandos.
Para quem trabalha com ilustração e pintura digital, a mesa digitalizadora é indispensável, pois é a forma de interagir com o computador que mais se aproxima do ato de desenhar ou pintar. E para quem trabalha com manipulação e edição de imagens, a mesa digitalizadora agiliza e dá mais naturalidade às edições de máscaras, seleções, retoques e pintura.

Quais os recursos disponíveis em uma mesa digitalizadora?

Sensibilidade à pressão

Uma das principais vantagens de uma mesa digitalizadora, principalmente para quem trabalha com edição de imagens e pintura digital é a sensibilidade aos níveis de pressão da caneta. Isso quer dizer que você pode usar a caneta de um jeito muito próximo do real de um pincel de pintura, por exemplo. Os níveis de pressão permitem que, ao pressionar a caneta com mais força sobre a mesa, o traço do pincel no Photoshop, por exemplo, fique mais grosso e mais forte. O mesmo ocorre ao dar pinceladas leves, o traço fica mais fraco e fino.

Botões personalizáveis

Boa parte das mesas atuais possuem botões que podem ser configuráveis. Você pode usar estes botões para abrir um programa mais facilmente, ativar uma ferramenta ou desfazer ações no seu aplicativo gráfico. As canetas também possuem botões que auxiliam no seu uso, geralmente são dois botões que funcionam como o clique direito e esquerdo do mouse.

Inclinação da caneta

Nas mesas gráficas mais modernas é possível encontrar o recurso de sensibilidade à inclinação da caneta. Assim você pode simular desenhar com um lápis ou giz deitado simplesmente inclinando a caneta sobre a mesa gráfica.

Sensibilidade ao toque

Outro recurso que também pode ser um diferencial em alguns modelos é a sensibilidade ao toque dos dedos. Este recurso é muito útil se você pretende abandonar o uso do mouse. Com os dedos você pode usar o computador como um tablet (um iPad, por exemplo), deslizando os dedos para movimentar o mouse, usar comandos de gestos com dois ou mais dedos par navegar na internet ou alternar entre os programas abertos no computador.

Borracha

Algumas canetas possuem característica semelhante a de um lápis com borracha. É possível usar a parte de traz da caneta para apagar traços em um aplicativo de desenho, como no Illustrator ou no Photoshop.

Quais os modelos disponíveis e como escolher uma mesa digitalizadora?

Quanto mais você conhece as possibilidades de uma mesa gráfica, mais difícil fica de escolher a melhor para o seu tipo de trabalho. Existem muito modelos, de vários tamanhos e com vários preços. A  principal diferença entre as mesas gráficas é o seu tamanho e a sua variedade de recursos.
A marca mais famosa e sem sombra de dúvidas a que domina o mercado de mesas gráficas, tanto pela qualidade quanto pela variedade é a Wacom (lê-se “vacon”, mas alguns dizem “ueicon”). Então nem vou mencionar outros modelos e fabricantes pois creio ser totalmente desnecessário.
Quando você for escolher sua mesa terá à disposição duas categorias, amadoras e profissionais, isso não quer dizer muita coisa, apenas serve para identificar a quantidade de recursos e o tamanho das mesas de cada categoria. Isso não quer dizer que você deve escolher uma profissional simplesmente por que se chama “profissional”. Dentro destas categorias a Wacom oferece três séries de produtos, Bamboo (amadoras), Intuos e Cintiq (profissionais).

Mesas Wacom Bamboo


Imagem Wacom Store
À categoria Bamboo pertencem as mesas menores, com recursos básicos mas que atendem tanto os que ainda vão conhecer uma mesa gráfica quanto os profissionais mais experientes que querem leveza e praticidade. Também são as que custam menos, alguns modelos possuem sensibilidade ao toque. Vale mencionar que todas possuem sensibilidade de 512 (Modelo Pad) a 1024 níveis de pressão (Modelos Pen e Capture).
Você pode encontrar à venda tanto na Wacom Store quanto em outras lojas, como Kabum ouFourServ, os preços variam de R$ 150 a R$ 500. Eu possuo uma Bamboo Capture que comprei na Kabum, na época custou cerca de R$ 350,00, mas hoje em dia está mais cara. As vantagens do modeloBamboo Capture (CTH-480L) sobre as da mesma categoria é que ela possui o slot para o módulo sem fio (conexão wi-fi com o computador, comprado separadamente) e é sensível ao toque dos dedos, claro que isso a deixa um pouco mais cara que as demais.
Este tipo de mesa é ideal para quem ainda não conhece o equipamento e para quem está acostumado aos modelos compactos. O tamanho da mesa influencia bastante em sua usabilidade, eu por exemplo prefiro estes por serem os modelos menores.

Mesas Wacom Intuos

Se você está acostumado a desenhar em superfícies maiores, quer aproveitar muito mais recursos e tem uma graninha a mais para investir em um equipamento mais sofisticado, pode preferir as da série Intuos. Estes modelos possuem tamanhos pequeno, médio e grande, tem um espaço de trabalho generoso e oferecem muito mais recursos com gestos e caneta. Os preços variam entre R$ 300 e R$ 2.000.
O modelo top de linha Intuos Pro Wacom Pen & Touch Tablet Grande PTH851 (imagem abaixo) custa R$1.899 e já vem com o módulo de conexão sem fio, várias pontas de caneta com características diferentes para diferentes experiências de desenho, suporta 2048 níveis de pressão da caneta além de vários botões personalizáveis. Além disso também é sensível à inclinação da caneta e Touch Ring que permite alternar facilmente entre recursos e ferramentas na tela.

Imagem Wacom Store
Este modelo é ideal para profissionais mais exigentes e que gostam de sofisticação. Pode ser muito difícil usá-la se for a sua primeira mesa gráfica, tanto pelo tamanho quanto pelo número de recursos.

Mesas Wacon Cintiq

Esta é a categoria que poderíamos chamar de High-End das mesas digitalizadoras. A sérieCintiq oferece para os profissionais criativos a forma mais natural e completa para desenhar e pintar, fazer vídeos e trabalhos de arte e animação. A mesa é na verdade um visor sensível ao toque e que também utiliza Stylus. Existem diferentes modelos e tamanhos onde seus preços variam de R$ 4.000 a R$ 18.000.
O modelo Cintiq 24HD Wacom DTH2400 Touch (Imagem acima) possui a incrível tela 24HD com iluminação avançada por LED, isso garante uma representatividade de cores sem igual. Ela também possui o recurso de multitoques já suportado pelos principais aplicativos de edição criativa como Photoshop, Corel PAINTER entre outros.
Como você pode ver existe um mar de possibilidades quando o assunto é mesa digitalizadora. Minha recomendação para quem está começando é optar pelos modelos Bamboo, em especial a Bamboo Capture que é uma das mais usadas. Os modelos menores da Intuos também são uma excelente pedida, depois você pode pensar nos modelos maiores e mais sofisticados.

Considerações finais

Para escolher o seu modelo leve em consideração o seu tamanho e a quantidade de recursos disponíveis. O bolso também conta. Todos os modelos da Wacom possuem caneta com pontas substituíveis, elas não duram pra sempre. Quando você adquire sua mesa recebe várias pontas extras que podem ser trocadas facilmente puxando e colocando outra no lugar. Embora eu tenha evidenciado as mesas da Wacom, existem outras fabricantes, porém estas não são tão populares no meio criativo.
Você não precisa ser ilustrador ou saber desenhar para ter a sua própria mesa gráfica, no mínimo ela substituirá com maestria o seu mouse em tarefas mais cansativas e que exigem movimentos mais flexíveis. Claro que se você pretende desenhar um dia, uma mesa gráfica é indispensável.
Se você gostaria de saber mais alguma coisa que eu deixei passar no artigo, por favor, compartilhe nos comentários, atualizar o artigo para que ele fique mais completo é sempre uma ótima maneira de deixar você bem informado.
Fonte: http://clubedodesign.com/
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

1 comentários: