quarta-feira, 21 de maio de 2014

A verdadeira história do Adobe Illustrator

Adobe Illustrator


O Illustrator é uma das mais poderosas ferramentas para desenho e edição vetorial da atualidade. É o aplicativo utilizado por profissionais da ilustração, design gráfico, web, moda enfim, onde houver a necessidade de se criar um vetor, lá estará o Illustrator.
É com este programa que grandes profissionais constroem identidades visuais para empresas de grande porte… para as de pequeno porte também, e é o aplicativo que mais ganhou o favoritismo dos profissionais da criação nos últimos anos.
Conhecedor de sua fantástica aplicação, resolvi destrinchar a história deste fabuloso aplicativo compartilhando com você um dos artigos que considero mais completos da web sobre a história do illustrator. Veja a seguir uma tradução/adaptação de um artigo retirado de uma fonte externa, a referência ao artigo original e o seu link estão no final deste artigo.

A história fabulosa do Abode Illustrator
Há muito tempo atrás, em um estúdio longe, muito longe… Nascia o Adobe Illustrator 1. Catorze novas versões e 24 anos mais tarde, o Adobe Illustrator é o editor de gráficos vetoriai mais popular do mercado.
Se você é como muitos que passam várias horas do seu dia criando com o adobe Illustrator, sente-se e relaxe. Vá pegar uma xícara de café e coloque seus pés pro alto, vamos agora dar um passeio pela estrada da memória para relembrar a evolução do Adobe Illustrator.

O Nascimento de Vênus


O Illustrator teve início em 1986, como um projeto gráfico, fonte e aplicação de desenvolvimento de logotipo. A plataforma original e o propósito do Adobe Illustrator era integrar o uso de equações matemáticas para as linhas, curvas suaves e formas por um sistema conhecido como curvas de Bézier. Para enfatizar essa noção de ser capaz de produzir, editar e salvar linhas curvas e fluidas, a Adobe escolheu a Vênus de Botticelli em “O Nascimento de Vênus” como a sua imagem de marketing.
Ao longo dos anos e versões, ela mudou para destacar os novos recursos e melhorias que a Adobe tinha feito no programa, e fomos capazes de contemplar esta beleza até a criação da Creative Suite em 2003.


Tempo para iniciar a atualização
Com o sucesso do Adobe Illustrator 1 e o interesse cada vez maior em computadores e imagens geradas por computador, surgiram uma série de atualizações bem como suporte para outras plataformas, começando em 1988 com o Illustrator 88 (não 2?… 88! por causa de do ano)


A primeira versão projetado para Windows foi o Illustrator 2.0, que foi lançado um ano mais tarde e não se saiu muito bem, o CorelDRAW já dominava a preferência nesta plataforma e alguns problemas com a interface terminaram por jogá-lo mais lá em baixo. Também surgiram algumas versões bem sucedidas para a NeXT, Sun Solaris, e outras plataformas da época, mas o tempo iria mostrar que as versões para Macintosh e Windows iriam começar a dominar o mercado.

As versões 3.0 e 4.0 saíram nos anos seguintes, com melhorias e o desenvolvimento da edição possível em um modo de visualização ficou em primeiro lugar na versão 4.0 para Windows, mas não aparece no Macintosh até a versão 5.0.





O campo de jogo é equilibrado
A equipe de Adobe fez algumas mudanças importantes na interface do Illustrator com o lançamento do Illustrator 6 em 1996. Isto foi quando Illustrator começou a suportar fontes TrueType, tornando a “guerra de fontes” entre PostScript Type 1 e TrueType bastante obsoletas. Foi também quando o Illustrator começou a suportar plug-ins e rapidamente estender suas habilidades de edição para torná-lo ainda mais impressionante.Até meados dos anos 90 com a versão 7.0, quando usuários começaram a ver finalmente alguma padronização entre Macintosh e as versões para Windows, foi quando terminou a competição para ver qual dos dois vencia. Devido a isso, os designers finalmente tiveram a oportunidade de escolher com firmeza o Illustrator como aplicação criativa para seus projetos, em vez de ir e vir entre Illustrator, CorelDRAW e FreeHand. Esta também era a idade da “World Wide Web”, o que empurrava o Illustrator ao favoritismo pois os desenvolvedores procuraram rapidamente uma forma de apoiar recursos de publicações para de web e plug-ins para internet, este foi um dos maiores caminhos para a mudança e melhoria na vida do Illustrator até hoje.



Algumas coisas loucas começaram a acontecer com o tempo e as versões passaram, algumas coisas que há muito tempo não estiveram disponíveis e que agora usamos quase que inconscientemente, ou que sempre estiveram lá e nós nunca chegamos a usar. Por exemplo, a ferramenta balde de tinta, quantas vezes você usou isso? É só existe desde 1996 com a versão 6.0. E as guias inteligentes? Não posso imaginar como trabalhar sem elas, mas elas não estavam por perto até 1998 – versão 8.0. Este foi um grande momento para mudanças e melhorias nas ferramentas da Adobe. Ano após ano, elas saíram com mais ferramentas impressionantes que com certeza inovaram e tornaram-se tão comuns que são usadas como um lápis e borracha hoje em dia.

Apresentando a Creative Suite!
O Adobe Illustrator já tinha se consolidado firmemente como a escolha de editor de gráficos vetoriais de muitos profissionais. Em 2003, a Adobe decidiu agrupar todos os produtos bem sucedidos juntos em um super pacote chamado Adobe Creative Suite. Com isso, usuários de primeira viagem foram capazes de criar simples objetos e efeitos 3D, um grande marco no mundo do design, e mais marcos continuaram chegando – Paint Live e Live Trace foram criados alguns anos depois. Com a integração dos programas da Adobe nesta ‘Suite’ finalmente dissemos adeus a Vênus… ela viveu e serviu bem, mas com o redesenho do produto e sua marca veio um novo tema que girava em torno da natureza . Vemos agora flores e folhas estilizadas sobre as caixas de produtos e janelas de inicialização.

Com o lançamento do CS3 a equipe da Adobe decidiu reformular a marca mais uma vez para simplificar a embalagem e unificar toda a suíte. Cada programa dentro do traje criativo foi associado a uma cor e o nosso amado Illustrator recebeu a cor laranja.

Hoje
Quatorze gerações e 24 anos mais tarde, a Adobe lançou o seu Illustrator CS5, quer dizer… mais um ano e a versão CS6 pode ser adicionada a estas contas, com toda a sua beleza e grandiosidade. Mas, qualquer que seja a versão que você usa, ou qual você decidiu ser o seu favorito, seja Illustrator 6 ou CS5, este certamente foi um passeio interessante e emocionante para um dos mais queridos aplicativos do design gráfico.




Este artigo é uma tradução e adaptação de Vecteezy.

Fonte: www.acervopublicitario.com.br
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário